sicnot

Perfil

Mundo

Sismo de magnitude 6,8 abala Ilhas Salomão

Um sismo de magnitude 6,8 abalou hoje, ao final da tarde, as Ilhas Salomão, no Pacífico, revelou o serviço de geofísica norte-americano US Geological Survey, mas não foi emitido qualquer alerta de tsunami.

O abalo, com uma profundidade de 10,82 quilómetros, fez-se sentir 119 quilómetros a sudoeste de Dadali, nas Ilhas Salomão, no Pacífico, às 02:31 locais (18:31 de Lisboa).

O Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico, com sede no Havai, informou que não há nenhum aviso de maremoto para este sismo.

As Ilhas Salomão situam-se no denominado Anel de Fogo do Pacífico, uma região de atividade sísmica frequente devido a choques entre as placas continentais.

Um terramoto de 6,0 graus atingiu as Ilhas Salomão em setembro, mas não causou danos nem houve alertas de tsunami.

Em 2013, as Ilhas Salomão foram atingidas por um tsunami após um sismo com 8,0 graus de magnitude que causou pelo menos 10 mortos e milhares de desalojados.

Lusa

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.