sicnot

Perfil

Mundo

Ameaça de bomba obriga avião que viajava entre Polónia e Egito a aterrar de emergência

Um avião que se deslocava da Polónia para o Egito fez hoje de manhã uma escala de emergência em Bourgas, na Bulgária, depois de um alerta de bomba a bordo.

As autoridades egípcias mantêm o reforço de vigilância nos aeroportos após o avião da Metrojet se ter despenhado, a 31 de outubro, na península egípcia do Sinai, causando a morte a mais de 220 pessoas. O grupo Daesh anunciou a colocação de uma bomba no avião russo. (Arquivo)

As autoridades egípcias mantêm o reforço de vigilância nos aeroportos após o avião da Metrojet se ter despenhado, a 31 de outubro, na península egípcia do Sinai, causando a morte a mais de 220 pessoas. O grupo Daesh anunciou a colocação de uma bomba no avião russo. (Arquivo)

© Asmaa Waguih / Reuters

"Um passageiro relatou a existência de explosivos a bordo do avião, que aterrou de urgência no aeroporto de Bourgas, às 5:45 (3:45 em Lisboa)", disse a porta-voz do aeroporto, Kristina Neikova.

Os 161 passageiros polacos foram retirados do avião e os serviços de segurança examinaram a aeronave, que viajava de Varsóvia para Hurghada, no Egito.

O passageiro que lançou o alerta, com cerca de 60 anos, foi submetido a um interrogatório.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.