sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela entregou aos EUA uma nota de protesto por alegada espionagem

Caracas entregou hoje uma nota de protesto formal ao encarregado de negócios dos Estados Unidos, Lee Mclenny, pela alegada espionagem norte-americana à empresa estatal Petróleos de Venezuela SA (Pdvsa).

© STRINGER Venezuela / Reuters

O documento foi entregue pelo vice-ministro venezuelano para as Relações Exteriores com a América do Norte e Europa, Alejandro Fleming, segundo anunciou o Ministério de Relações Exteriores da Venezuela através da sua conta na rede social Twitter.

Na quarta-feira a estação de televisão Telesul divulgou um documento com a classificação de "ultra secreto", datado de março de 2011, sobre a alegada espionagem e que teria sido cedido pelo ex-analista de dados e ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA), Edward Snowden.

O documento dá conta que a NSA e a Agência Central de Inteligência (CIA) espiaram, em 2010, as comunicações internas, telefonemas e correios eletrónicos de mais de 10 mil funcionários da Pdvsa, incluindo o seu ex-presidente, Rafael Ramírez, com acesso aos dados e palavras passe de 900 funcionários da empresa.

Numa primeira reação à denúncia, o Presidente venezuelano Nicolás Maduro ordenou a revisão das relações bilaterais com os Estados Unidos.

"Ordenei que iniciemos uma revisão integral das relações com o Governo dos EUA", disse durante um ato transmitido pela televisão estatal VTV.

Segundo Nicolás Maduro trata-se de uma "violação do direito internacional", um "ataque em massa contra a indústria petrolífera" venezuelana "que não pode ser aceite", pelo que o seu Governo "irá anunciar as decisões que irá tomar" até que "os EUA peçam perdão ao povo da Venezuela por este agravo cometido".

O Presidente da Venezuela denunciou ainda que os EUA procuram "controlar" o petróleo venezuelano" para submeter a Venezuela.

Lusa

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04
  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.