sicnot

Perfil

Mundo

Nove mortos, incluindo 4 mulheres suicidas, em atentado nos Camarões

Quatro mulheres suicidas fizeram-se explodir hoje nos arredores de Fotokol, no extremo norte dos Camarões, matando cinco civis, entre os quais um chefe tradicional, informou o governador regional. As suicidas eram "adolescentes com cerca de 15 anos", de acordo com fonte da segurança camaronesa.

Uma suicida fez-se explodir junto à casa do chefe tradicional de Laymarie, pequena localidade camaronesa na periferia de Fotokol, matando-o assim como a quatro membros da sua família, disse à agência France Presse o governador da região do Extremo-Norte, Midjiyawa Bakari.

As outras três bombistas rebentaram os explosivos nas proximidades alguns minutos depois e sem causar vítimas, adiantou.

Segundo uma fonte da segurança camaronesa contactada em Fotokol, as suicidas eram "adolescentes com cerca de 15 anos".

A mesma fonte indicou que a primeira explosão causou ainda dez feridos.

Bakari disse também que o exército agiu rapidamente.

"Logo após a primeira explosão, os nossos militares (estacionados em Fotokol) dispararam para o ar. Isso deve ter desencorajado as outras três suicidas", considerou.

Fotokol é regularmente alvo de ataques do grupo radical islâmico nigeriano Boko Haram. No passado dia 9, três civis foram mortos num atentado realizado por duas mulheres suicidas perto de uma mesquita dessa cidade.

No total, mais de 100 pessoas morreram desde julho em duas dezenas de atentados atribuídos aos extremistas nigerianos.

Lusa

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33