sicnot

Perfil

Mundo

Belgas respondem ao terrorismo com gatos nas redes sociais

Muitos belgas responderam com humor aos pedidos da polícia, este domingo, para não partilhar informações nas redes sociais sobre as operações policiais antiterrorismo em curso, partilhando imagens de gatos no Twitter e no Facebook seguidas da hashtag #BrusselsLockdown. Já esta manhã, a polícia agradeceu a onda, com a imagem de uma tigela cheia de comida para gatos.

Algumas das imagens partilhadas no Twitter na noite de domingo

Algumas das imagens partilhadas no Twitter na noite de domingo

A polícia federal belga apelou à comunicação social e à população em geral que não divulgassem detalhes das operações policiais que decorreram ontem à noite em Bruxelas, temendo que a informação partilhada pudesse comprometer essas operações.

Enquanto alguns dos principais jornais francófonos belgas, como o Le Soir, o L'Avenir ou o L'Echo, decidiram suspender temporariamente a cobertura noticiosa das operações, prometendo um balanço oficial para mais tarde, os belgas decidiram usar as redes sociais não para troca de informações, mas para trocar imagens de gatos.

No Twitter e no Facebook, e sob a hashtag #BrusselsLockdown ("Bruxelas fechada"), centenas de belgas começaram a partilhar imagens de gatos. Os exemplos são vários: desde a imagem de um gato com um turbante e a imitação de um cinto de explosivos, um gato com óculos e com a legenda Jean-Marie Le Pen (numa alusão à extrema direita francesa) ou mesmo um gato fechado na rua, com ar assustado, a perguntar quanto tempo mais tem de esperar por informações, entre outros.

A agência de notícias espanhola Efe conta que "Mantém a calma e twita um gato" foi o slogan com que começou a chuva de gatos na rede social, que acabou por substituir os detalhes das operações policiais que os cidadãos estavam a partilhar na Internet por ironia e fotos fofinhas.

Esta segunda-feira de manhã, a polícia federal belga publicou um tweet de agradecimento, com a imagem de tigela cheia de comida para os felinos.



Com Lusa
  •  Bruxelas mantém-se em alerta máximo
    1:49

    Ataques em Paris

    Bruxelas mantém-se em alerta máximo de terrorismo. Durante as operações anti-terrorismo de ontem na capital, em Liége e Charleroi, 16 pessoas foram detidas mas Salah Abdelslam, um dos suspeitos dos atentados de Paris, ainda não foi localizado e continua a monte.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.