sicnot

Perfil

Mundo

Medidas de extrema segurança em Teerão para cimeira de exportadores de gás

Teerão prepara-se hoje, entre medidas de extrema segurança, para acolher a III Cimeira do Fórum de Países Exportadores de Gás (FPEG), em que estarão presentes nove chefes de Estado e de Governo dos Estados-membros da organização.

reuters

Escolas, institutos e universidades da zona norte da capital permanecerão fechadas durante o encontro, o de maior peso político desde o início das reuniões do FPEG, em 2011.

Além disso, as principais autoestradas e avenidas da zona também ficarão cortadas ao trânsito, reservadas apenas para as autoridades, o que na prática implica um bloqueio da zona, dada a escassez de transportes públicos daquela cidade iraniana.

Como medida ainda mais extrema, não se tornou público o local do encontro e nem foram distribuídas as habituais acreditações para os meios de comunicação social e para os membros das delegações que irão participar na reunião.

Fontes da organização indicaram à imprensa, que teve de solicitar a acreditação com semanas de antecedência e entregar equipamentos e telemóveis no sábado às forças de segurança iranianas para serem analisados, os jornalistas autorizados a participar no encontro vão receber uma chamada, devendo apresentar-se num determinado lugar de Teerão uma hora antes do início da sessão.

Depois, serão transportados para sede da reunião, num dos poucos veículos que estarão autorizados a passar pelo cordão de segurança.

Já se encontram em Teerão os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro; da Bolívia, Evo Morales; da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang; da Nigéria, Mohamad Buhari; do Iraque, Fuad Masud, do Azerbaijão, Ilham Aliev, e do Turquemenistão, Gurbanguly Berdimuhamedow, assim como o primeiro-ministro da Argélia, Abdelmalek Sellal.

Ainda falta chegar o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, esperado ainda esta manhã, sendo que as restantes 19 delegações presentes na reunião são lideradas por ministros do Petróleo ou da Energia.

O FPEG é composto pela Rússia, Irão, Qatar, Argélia, Bolívia, Egipto, Guiné Equatorial, Líbia, Nigéria, Trinidad e Tobago, Venezuela e Emiratos Árabes Unidos, como membros de pleno direito, e países observadores, incluindo Holanda, Iraque, Omã, Peru, Azerbaijão, Cazaquistão e Noruega, com o Turquemenistão a participar como convidado especial.

A presença de tantos chefes de Estado na reunião foi interpretada pelas autoridades iranianas como "a indicação de mudança na comunidade internacional" relativamente ao seu país após o acordo sobre o programa nuclear anunciado em julho último.

Os países que participam na cimeira controlam 42% do abastecimento de gás mundial, 70% das suas reservas comprovadas, e 40% do fornecimento através de gasodutos e 65% do mercado mundial de gás natural liquefeito.

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida