sicnot

Perfil

Mundo

Esta mulher não é bombista suicida

Esta mulher é Nabila Bakkatha. Está viva, não tem nada que ver com o Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) ou com Hasna, a mulher que morreu na operação polícial em Saint-Denis. Mora em Marrocos e foi por lá que se apercebeu que a sua imagem foi vendida a um jornalista como sendo de Hasna. Tudo não passou de uma vingança que Nabila vai querer resolver em tribunal.

A fotografia correu mundo. Foi estampada no jornal britânico Daily Mail e inundou as redes sociais. Na legenda, Hasna Aitboulahcen, a primeira mulher-bomba, num momento descontraído, a tomar um banho de espuma.

Em Marrocos, uma mulher não ganhou para o susto. Nabila Bakkatha nem queria acreditar quando viu a sua imagem relacionada com os atentados de Paris.

"A fotografia foi tirada por minha amiga que a vendeu para um jornalista francês após os ataques em Paris como vingança", contou Nabila à CNN. "A minha família ficou chocada e alguns familiares não querem falar mais comigo".

Nabila garante que não conhece Hasna e não tem ligações ao Daesh (autoproclamado Estado Islâmico). Por estes dias tenta "sobreviver" em Marrocos. "Parei de trabalhar, não posso sair de casa, e vivo constantemente com medo".

Nabila Bakkatha vai avançar com um processo judicial contra a ex-amiga e o jornalista que comprou e publicou as imagens.

  • Terceiro corpo encontrado em Saint-Denis, segundo foi identificado

    Ataques em Paris

    Foi encontrado mais um corpo, de uma mulher, no apartamento em Saint-Denis, nos arredores de Paris, alvo do raide policial de quarta-feira. Sobe assim para três o número de vítimas mortais da operação, no âmbito da investigação aos atentados de há uma semana. Das duas mulheres encontradas, está confirmada a identidade de uma: Hasna Aitboulahcen, a mulher que se julga ser a bombista suicida que se fez explodir no decorrer da rusga.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.