sicnot

Perfil

Mundo

Esta mulher não é bombista suicida

Esta mulher é Nabila Bakkatha. Está viva, não tem nada que ver com o Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) ou com Hasna, a mulher que morreu na operação polícial em Saint-Denis. Mora em Marrocos e foi por lá que se apercebeu que a sua imagem foi vendida a um jornalista como sendo de Hasna. Tudo não passou de uma vingança que Nabila vai querer resolver em tribunal.

A fotografia correu mundo. Foi estampada no jornal britânico Daily Mail e inundou as redes sociais. Na legenda, Hasna Aitboulahcen, a primeira mulher-bomba, num momento descontraído, a tomar um banho de espuma.

Em Marrocos, uma mulher não ganhou para o susto. Nabila Bakkatha nem queria acreditar quando viu a sua imagem relacionada com os atentados de Paris.

"A fotografia foi tirada por minha amiga que a vendeu para um jornalista francês após os ataques em Paris como vingança", contou Nabila à CNN. "A minha família ficou chocada e alguns familiares não querem falar mais comigo".

Nabila garante que não conhece Hasna e não tem ligações ao Daesh (autoproclamado Estado Islâmico). Por estes dias tenta "sobreviver" em Marrocos. "Parei de trabalhar, não posso sair de casa, e vivo constantemente com medo".

Nabila Bakkatha vai avançar com um processo judicial contra a ex-amiga e o jornalista que comprou e publicou as imagens.

  • Terceiro corpo encontrado em Saint-Denis, segundo foi identificado

    Ataques em Paris

    Foi encontrado mais um corpo, de uma mulher, no apartamento em Saint-Denis, nos arredores de Paris, alvo do raide policial de quarta-feira. Sobe assim para três o número de vítimas mortais da operação, no âmbito da investigação aos atentados de há uma semana. Das duas mulheres encontradas, está confirmada a identidade de uma: Hasna Aitboulahcen, a mulher que se julga ser a bombista suicida que se fez explodir no decorrer da rusga.

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.