sicnot

Perfil

Mundo

Esta mulher não é bombista suicida

Esta mulher é Nabila Bakkatha. Está viva, não tem nada que ver com o Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) ou com Hasna, a mulher que morreu na operação polícial em Saint-Denis. Mora em Marrocos e foi por lá que se apercebeu que a sua imagem foi vendida a um jornalista como sendo de Hasna. Tudo não passou de uma vingança que Nabila vai querer resolver em tribunal.

A fotografia correu mundo. Foi estampada no jornal britânico Daily Mail e inundou as redes sociais. Na legenda, Hasna Aitboulahcen, a primeira mulher-bomba, num momento descontraído, a tomar um banho de espuma.

Em Marrocos, uma mulher não ganhou para o susto. Nabila Bakkatha nem queria acreditar quando viu a sua imagem relacionada com os atentados de Paris.

"A fotografia foi tirada por minha amiga que a vendeu para um jornalista francês após os ataques em Paris como vingança", contou Nabila à CNN. "A minha família ficou chocada e alguns familiares não querem falar mais comigo".

Nabila garante que não conhece Hasna e não tem ligações ao Daesh (autoproclamado Estado Islâmico). Por estes dias tenta "sobreviver" em Marrocos. "Parei de trabalhar, não posso sair de casa, e vivo constantemente com medo".

Nabila Bakkatha vai avançar com um processo judicial contra a ex-amiga e o jornalista que comprou e publicou as imagens.

  • Terceiro corpo encontrado em Saint-Denis, segundo foi identificado

    Ataques em Paris

    Foi encontrado mais um corpo, de uma mulher, no apartamento em Saint-Denis, nos arredores de Paris, alvo do raide policial de quarta-feira. Sobe assim para três o número de vítimas mortais da operação, no âmbito da investigação aos atentados de há uma semana. Das duas mulheres encontradas, está confirmada a identidade de uma: Hasna Aitboulahcen, a mulher que se julga ser a bombista suicida que se fez explodir no decorrer da rusga.

  • Lisboa assinala fim das obras no Saldanha
    2:39