sicnot

Perfil

Mundo

Explosão em autocarro da guarda presidencial da Tunísia fez vários mortos

Uma explosão atingiu hoje um autocarro com membros da guarda presidencial da Tunísia provocando mortos e feridos, anunciaram as autoridades. Pelo menos 14 pessoas morreram, segundo o porta-voz da presidência, Moez Sinaoui, que qualificou o incidente de atentado.

(arquivo)

(arquivo)

© Anis Mili / Reuters

Além dos mortos, pelo menos 11 pessoas ficaram feridas, acrescentou o porta-voz, citado pela agência France Presse.

Segundo testemunhas citadas pela agência EFE, a explosão foi provocada por um bombista suicida que se fez explodir quando o autocarro passava em frente da sede do antigo partido de Ben Ali, o ditador deposto em 2011.

A explosão ocorreu numa das principais avenidas de Tunes à hora de ponta.

O Ministério do Interior e a Presidência indicaram tratar-se de um atentado.

A Tunísia foi alvo este ano de dois ataques terroristas, um em março no Museu do Bardo, em Tunes, que fez 22 mortos, e outro em julho na estância turística de Port el-Kantaoui, perto de Sousse, que matou 38 turistas estrangeiros.

Ambos os ataques foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Lusa

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.