sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio em campo de migrantes na Argélia mata 18 pessoas

Um incêndio que deflagrou na noite passada num campo de refugiados na Argélia matou 18 migrantes africanos e feriu outros 43, divulgaram hoje os serviços de emergência argelinos.

© Yannis Behrakis / Reuters


"O alerta do incêndio foi dado pelas 03:00 locais (02:00 em Lisboa) e matou 18 pessoas, deixando outras 43 feridas, no campo que acolhe migrantes em Ouargla, a 800 quilómetros de Argel", disse Farouk Achour, porta-voz da Proteção Civil local.

Até ao momento, as causas do incêndio não são conhecidas nem as nacionalidades das vítimas.

O local, um hangar com todas as condições, colocado à disposição dos migrantes pelas autoridades locais, acolhia mais de 600 pessoas, precisou Farouk Achour.

A Proteção Civil interveio rapidamente no sentido de circunscrever o incêndio, alegadamente provocado por um aquecimento improvisado, uma vez que as temperaturas baixaram drasticamente nos últimos dias.

Uma investigação foi entretanto aberta pela polícia científica para determinar as causas do incêndio.

A Argélia tornou-se um destino privilegiado para os migrantes subsarianos, mas este fluxo levou ao aumento dos comportamentos racistas, que vem sendo demonstrado através de artigos na imprensa, denunciados por várias organizações não-governamentais.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.