sicnot

Perfil

Mundo

Maior fábrica de clones do mundo vai produzir cães, cavalos e vacas

A maior fábrica de clonagem animal do mundo está a ser construída na China e planeia produzir cães, cavalos e até um milhão de vacas por ano, noticiou esta terça-feira a agência oficial chinesa Xinhua.

O objetivo é produzir animais de estimação, cães-polícia, cavalos de corrida e vacas para alimentação, para venda à escala industrial. (Arquivo)

O objetivo é produzir animais de estimação, cães-polícia, cavalos de corrida e vacas para alimentação, para venda à escala industrial. (Arquivo)

© David Moir / Reuters

As instalações, orçadas em 200 milhões de yuan (31 milhões de dólares), incluem um laboratório de clonagem e um banco de genes.

A Xinhua refere que o projeto está a ser desenvolvido pela firma de biotecnologia chinesa Boyalife e pela sul-coreana Sooam Biotech - cujo fundador alegou, há uma década, ter clonado embriões humanos -, além de dois institutos de investigação chineses.

O objetivo é produzir animais de estimação, cães-polícia, cavalos de corrida e vacas para alimentação, para venda à escala industrial.

A fábrica vai situar-se no porto de Tianjin, a sul de Pequim, deverá começar a produção no próximo ano, com uma capacidade inicial de 100 mil embriões de gado por ano, até atingir a meta de um milhão, de acordo com a Xinhua, que citou o presidente da Boyalife, Xu Xiaochun.

"Os agricultores chineses têm dificuldade em produzir gado para alimentação para responder à procura", disse Xu Xiaochun.

Em agosto, pelo menos 165 pessoas morreram nas explosões de armazéns de químicos no porto de Tianjin.

A sul-coreana Sooam é dirigida por Hwang Woo-suk, que em 2004 afirmou ter conseguido desenvolver células estaminais a partir de embriões humanos clonados, pela primeira vez no mundo.

A comunidade científica considerou a investigação fraudulenta e repleta de falhas éticas.

A página digital da Sooam apresenta uma série de instruções para potenciais clientes que pretendam clonar o seu cão morto.

A Sooam e a Boyalife começaram o mercado da clonagem comercial na China no ano passado, com a produção de três cães de raça mastim tibetano, indicou a Xinhua.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.