sicnot

Perfil

Mundo

ONU quer enviar reforços para proteger civis no Sudão do Sul

O secretário-geral da ONU recomendou o envio de mais 1.100 "capacetes azuis" para o Sudão do Sul, onde a guerra civil continua apesar da assinatura de um acordo de cessar-fogo no final de agosto.

© Goran Tomasevic / Reuters

Ban Ki-moon fez a recomendação, hoje divulgada, num relatório entregue na semana passada ao Conselho de Segurança e no qual se mostra pessimista em relação a uma solução para o conflito.

Os reforços pedidos incluem 600 polícias e 500 soldados, assim como 13 "meios aéreos adicionais" como helicópteros, uma companhia de engenharia para se instalar em Bentiu (norte) e hospitais de campanha para Bentiu e para a capital, Juba.

Os "capacetes azuis", atualmente cerca de 12.500, protegem 180.000 civis refugiados nas seis bases das Nações Unidas em todo o país.

Embora o governo sul-sudanês e os rebeldes liderados por Riek Machar tenham assinado um acordo de paz a 26 de agosto, os combates nunca cessaram verdadeiramente.

"As violações do cessar-fogo e a incapacidade dos beligerantes em respeitarem as datas limite para as primeiras fases da aplicação do acordo de paz fazem duvidar do seu compromisso em relação ao processo de paz", considera Ban, que admite a possibilidade de "novos atrasos" na aplicação do acordo.

Ban receia igualmente "assassínios de represália", tendo em conta as atrocidades cometidas desde o início do conflito há perto de dois anos, assim como uma "escalada da violência entre comunidades".

O Sudão do Sul proclamou a sua independência em julho de 2011, regressando à guerra em dezembro de 2013 devido a divergências políticas e étnicas, alimentadas pela rivalidade entre o atual chefe de Estado, Salva Kiir, e o seu antigo vice-presidente Riek Machar.

Os combates e massacres provocaram uma grave crise económica e humanitária e forçaram mais de 2,2 milhões de pessoas a abandonarem as suas casas.

Lusa

  • Ministro garante segurança nas escolas com uso de poliuretano
    0:52

    País

    O ministro da Educação garante que as escolas estão em segurança e que não há perigo com um material como o poliuretano. Tiago Brandão Rodrigues respondia, esta quarta-feira, a uma pergunta dos Verdes sobre a substituição de amianto nas escolas.

  • Estoril garante que estrutura da bancada não está em causa
    2:23

    Desporto

    O Laboratório Nacional de Engenharia Civil deverá emitir esta quinta-feira um parecer preliminar sobre a bancada norte do estádio do Estoril-Praia. O clube garante que a estrutura não está em causa e que, tal como a câmara de Cascais, aguarda por conclusões para uma edificação feita no vale da Amoreira.

  • "Quem me dera que a bancada do Estoril fosse com o c......"

    Desporto

    Depois da polémica no jogo entre Estoril-Praia e FC Porto, um cântico polémico da claque do Sporting sobre a bancada do estádio António Coimbra da Mota que obrigou à interrupção do jogo da passada segunda-feira. Tudo aconteceu durante um jogo do campeonato de hóquei em patins entre leões e dragões.

  • Ronaldo estará mesmo de saída do Real Madrid
    2:01
  • Várias alternativas para vender a sua casa
    8:58
  • Encontradas 86 pedras preciosas numa casa em Albufeira
    0:48
  • Registada em vídeo explosão de meteoro nos EUA
    0:42
  • "A Rússia não nos ajuda nada na Coreia do Norte"

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, condenou esta quarta-feira a postura da Rússia sobre a situação da Coreia do Norte, afirmando que o país está a minar os esforços internacionais em curso para isolar o regime de Kim Jong-Un.

  • Polícia descobre arte de esconder 750 quilos de droga em ananases
    2:25
  • Moscovo só teve seis minutos de luz solar em dezembro

    Mundo

    Os portugueses estão tão habituados ao sol, que nunca imaginariam passar um mês inteiro sem ele. O fenómeno aconteceu na capital russa. Moscovo bateu o recorde em dezembro, quando passou o mês inteiro sem luz solar direta. As pessoas de Moscovo viram o sol apenas durante seis minutos e a espreitar timidamente por entre as nuvens.

  • A maior lua de Saturno tem nível do mar tal como a Terra

    Mundo

    Titã, a maior lua de Saturno, tem uma altura média da superfície do mar, tal como a Terra, revela um estudo divulgado esta quarta-feira, que se baseia em observações feitas pela sonda norte-americana Cassini, cuja missão terminou em setembro.