sicnot

Perfil

Mundo

ONU quer enviar reforços para proteger civis no Sudão do Sul

O secretário-geral da ONU recomendou o envio de mais 1.100 "capacetes azuis" para o Sudão do Sul, onde a guerra civil continua apesar da assinatura de um acordo de cessar-fogo no final de agosto.

© Goran Tomasevic / Reuters

Ban Ki-moon fez a recomendação, hoje divulgada, num relatório entregue na semana passada ao Conselho de Segurança e no qual se mostra pessimista em relação a uma solução para o conflito.

Os reforços pedidos incluem 600 polícias e 500 soldados, assim como 13 "meios aéreos adicionais" como helicópteros, uma companhia de engenharia para se instalar em Bentiu (norte) e hospitais de campanha para Bentiu e para a capital, Juba.

Os "capacetes azuis", atualmente cerca de 12.500, protegem 180.000 civis refugiados nas seis bases das Nações Unidas em todo o país.

Embora o governo sul-sudanês e os rebeldes liderados por Riek Machar tenham assinado um acordo de paz a 26 de agosto, os combates nunca cessaram verdadeiramente.

"As violações do cessar-fogo e a incapacidade dos beligerantes em respeitarem as datas limite para as primeiras fases da aplicação do acordo de paz fazem duvidar do seu compromisso em relação ao processo de paz", considera Ban, que admite a possibilidade de "novos atrasos" na aplicação do acordo.

Ban receia igualmente "assassínios de represália", tendo em conta as atrocidades cometidas desde o início do conflito há perto de dois anos, assim como uma "escalada da violência entre comunidades".

O Sudão do Sul proclamou a sua independência em julho de 2011, regressando à guerra em dezembro de 2013 devido a divergências políticas e étnicas, alimentadas pela rivalidade entre o atual chefe de Estado, Salva Kiir, e o seu antigo vice-presidente Riek Machar.

Os combates e massacres provocaram uma grave crise económica e humanitária e forçaram mais de 2,2 milhões de pessoas a abandonarem as suas casas.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.