sicnot

Perfil

Mundo

Centenas protestam em Chicago contra descriminação racial

Centenas de pessoas saíram, esta terça-feira, para as ruas de Chicago (EUA) em protesto após ter sido divulgado um vídeo da morte de um jovem negro, ocorrida há mais de um ano, por um polícia branco que disparou 16 vezes.

© Jim Young / Reuters

Vários manifestantes gritaram "16 tiros", em referência ao número de balas que atingiram Laquan McDonald, de 17 anos, e outros repreendiam os agentes antimotim, segundo imagens televisivas.

As autoridades judiciais de Chicago anunciaram, esta terça-feira, que vão acusar o veterano polícia branco Jason Van Dyke, presumível autor dos disparos contra o jovem, de homicídio.

Van Dyke, de 37 anos, entregou-se às autoridades e deve ser presente a tribunal, que vai decidir se lhe concede liberdade condicional.

McDonald foi morto a 20 de outubro de 2014, após um encontro com o agente Van Dyke, da polícia de Chicago, e que assegurou na altura que o jovem estava armado com uma faca.

No vídeo, divulgado ao final do dia de terça-feira, vê-se McDonald a correr, aparentemente, a afastar-se de um grupo de agentes, quando foi atingido pela primeira vez. Depois, aparece estendido no chão, onde aparentemente é baleado por diversas vezes, e um agente não identificado aproxima-se e chuta uma pequena faca que McDonald segurava na mão.

A polícia argumenta que Van Dyke disparou por temer pela sua vida e acrescenta que McDonald, cuja autópsia revelou indícios de que pode ter consumido drogas, se comportou de forma errada e que não atendeu as ordens dos agentes para que largasse a faca.

Antes da difusão do vídeo, e antecipando eventuais protestos, o presidente da câmara de Chicago, Rahm Emanuel, e o superintendente da polícia, Garry McCarthy, apelaram à calma durante uma conferência de imprensa.

Este é o primeiro caso em 35 anos na cidade de Chicago em que um polícia é acusado de homicídio em primeiro grau devido a um incidente ocorrido quando estava em serviço, segundo a imprensa local.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e, a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.