sicnot

Perfil

Mundo

Médicos sem Fronteiras consideram ataque dos EUA a hospital afegão um "assustador catálogo de erros"

A investigação dos Estados Unidos ao ataque aéreo a um hospital dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) no Afeganistão revelou um "assustador catálogo de erros" cometidos pelos militares norte-americanos, disse esta quarta-feira a organização não-governamental.

A 3 de outubro, um ataque aéreo a um hospital daquela organização não-governamental durante uma ofensiva contra os talibãs a norte na cidade de Kunduz provocou a morte a 30 pessoas e obrigou ao encerramento daquela unidade a encerrar. (Arquivo)

A 3 de outubro, um ataque aéreo a um hospital daquela organização não-governamental durante uma ofensiva contra os talibãs a norte na cidade de Kunduz provocou a morte a 30 pessoas e obrigou ao encerramento daquela unidade a encerrar. (Arquivo)

© Parwiz Parwiz / Reuters

A 3 de outubro, um ataque aéreo a um hospital daquela organização não-governamental durante uma ofensiva contra os talibãs a norte na cidade de Kunduz provocou a morte a 30 pessoas e obrigou ao encerramento daquela unidade a encerrar.

"O assustador catálogo de erros hoje apresentado ilustra a negligência grosseira praticada pelas forças militares dos Estados Unidos e a violação das regras da guerra", disse o diretor-geral dos Médicos Sem Fronteiras, Christopher Stokes.

O responsável reagia à divulgação do relatório sobre o incidente revelado pelas autoridades norte-americanas.

Os Estados Unidos admitiram hoje que o bombardeamento ao hospital se deveu a um erro humano "trágico" e que os militares responsáveis foram suspensos.

Aquela é uma das principais conclusões da investigação interna realizada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para esclarecer o bombardeamento do hospital.

Segundo o relatório, o erro humano foi provocado por falhas no sistema e procedimentos de atuação.

O documento refere que os militares responsáveis pelo ataque não tomaram as medidas apropriadas para verificar se o alvo era um objetivo militar legítimo.

Lusa

  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52