sicnot

Perfil

Mundo

Papa apela no Quénia à luta contra a pobreza para acabar com o terrorismo

O papa Francisco pediu hoje aos líderes políticos e empresariais quenianos para lutarem contra "a pobreza e a frustração" através de uma distribuição equitativa dos recursos, porque o medo e o desespero promovem os conflitos e o terrorismo.

© Giampiero Sposito / Reuters

"A experiência mostra que a violência, os conflitos e o terrorismo alimentam-se do medo, da desconfiança e do desespero que nascem da pobreza e da frustração", afirmou o pontífice em Nairobi, durante uma receção com o Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta.

Francisco chegou hoje à capital queniana sob fortes medidas de segurança, que incluem o destacamento de 10 mil elementos das forças de segurança.

O papa, que iniciou hoje um pequeno périplo africano, vai estar em Nairobi até sexta-feira.

Durante a sua intervenção, Francisco mencionou a ameaça terrorista que também é uma realidade no Quénia. O país é alvo de ataques frequentes do grupo 'jihadista' somali Al Shabab, que contesta o destacamento de tropas quenianas no território somali.

Segundo o pontífice, "a luta contra estes inimigos da paz e da prosperidade deve ser realizada por homens e mulheres que acreditam nesta luta sem medo e que dão um testemunho credível dos grandes valores espirituais e políticos que inspiraram o nascimento da nação".

O papa lembrou aos líderes políticos e empresários quenianos que "a promoção e a preservação desses grandes valores" é uma missão que lhes está confiada "de um modo especial".

"Esta é uma grande responsabilidade, uma verdadeira vocação ao serviço de todo o povo queniano", prosseguiu.

Com base neste espírito, Francisco incentivou os responsáveis quenianos "a trabalharem com integridade e transparência para o bem comum e a fomentarem um espírito de solidariedade em todas as áreas da sociedade".

"Exorto-os, em particular, a preocuparem-se verdadeiramente com as necessidades dos pobres, com as aspirações dos jovens e com uma distribuição justa dos recursos naturais e humanos", acrescentou.

O papa Francisco iniciou hoje no Quénia a sua primeira visita ao continente africano, um périplo que também vai incluir o Uganda e a República Centro-Africana, país que enfrenta uma vaga de violência religiosa e sectária.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.