sicnot

Perfil

Mundo

Coreias acordam diálogo de alto nível no próximo mês

As duas Coreias, do Norte e do Sul, acordaram esta quinta-feira realizar um raro diálogo de alto nível no próximo mês, após terem alcançado em agosto um acordo visando atenuar as tensões transfronteiriças, anunciou o Ministério da Unificação em Seul.

Em junho de 2013, as duas partes concordaram realizar o que teria sido o primeiro diálogo de alto nível em seis anos, mas Pyongyang cancelou na véspera das negociações se iniciarem. (Arquivo)

Em junho de 2013, as duas partes concordaram realizar o que teria sido o primeiro diálogo de alto nível em seis anos, mas Pyongyang cancelou na véspera das negociações se iniciarem. (Arquivo)

© Issei Kato / Reuters

Um responsável do ministério disse que as duas partes se encontrarão a nível ministerial no dia 11 de dezembro na zona industrial conjunta de Kaesong, na Coreia do Norte.

A agenda inclui "assuntos pendentes relacionados com a melhoria das relações", adiantou a mesma fonte, sem dar mais pormenores.

O acordo sobre o diálogo foi conseguido em negociações que decorreram hoje na aldeia fronteiriça de Panmunjom.

Em junho de 2013, as duas partes concordaram realizar o que teria sido o primeiro diálogo de alto nível em seis anos, mas Pyongyang cancelou na véspera das negociações se iniciarem.

Temas prováveis do encontro em dezembro serão a das reuniões regulares desejadas pela Coreia do Sul para as famílias separadas pela guerra da Coreia (1950-53), que dividiu a península coreana. A Coreia do Norte, por seu turno, quererá discutir o recomeço das visitas de grupos turísticos sul-coreanos ao seu complexo turístico do Monte Kumgang.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.