sicnot

Perfil

Mundo

Segunda noite de protestos em Chicago contra a discriminação racial

Segunda noite de protestos em Chicago contra a discriminação racial

Centenas de pessoas manifestaram-se ontem à noite nas ruas de Chicago, nos Estados Unidos, contra a discriminação racial. Foi a segunda noite de protestos na cidade, por causa da morte de um jovem negro de 17 anos que foi baleado pela polícia. Os manifestantes marcharam pela cidade com cartazes a lembrar o jovem e a pedirem justiça.

Enquanto isso gritavam "dezasseis tiros", que terá sido a quantidade de vezes que o agente da polícia de Chicago disparou sobre o rapaz. O incidente aconteceu em outubro do ano passado, mas o vídeo só agora foi divulgado.

O caso voltou a gerar indignação, principalmente entre a comunidade negra. Os manifestantes explicam que decidiram manifestar-se porque são já várias as mortes às mãos da polícia e dizem que estas mortes não fazem qualquer sentido.

  • Vídeo mostra polícia de Chicago a disparar 16 vezes sobre jovem
    1:30

    Mundo

    Um polícia de Chicago, nos Estados Unidos, foi acusado do homicídio de um jovem de 17 anos. A decisão surge depois de ser divulgado um vídeo que mostra o agente a disparar 16 vezes sobre a vítima. As imagens, divulgadas mais de um ano depois do crime, podem ferir a suscetibilidade dos espectadores mais sensíveis.

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00