sicnot

Perfil

Mundo

Extradição de Polanski para EUA definitivamente recusada pela justiça polaca

A extradição do cineasta Roman Polanski para os Estados Unidos, onde foi acusado de abuso sexual de uma menor em 1977, na Califórnia, foi definitivamente recusada pela justiça polaca, anunciou hoje a Procuradoria de Cracóvia.

© Agencja Gazeta / Reuters

A Procuradoria anunciou igualmente que renunciou ao seu direito de recorrer da decisão do tribunal.

A análise das motivações da decisão dos juízes "permite reconhecer como justificada a decisão do Tribunal Regional de Cracóvia de recusar a extradição de Roman Polanski para as autoridades norte-americanas", de acordo com a Procuradoria.

Desta forma, a decisão coloca "um fim aos processos judiciais contra Polanski", indicou à agência de notícias francesa France Presse (AFP) Jerzy Stachowicz, um dos advogados do cineasta.

A 30 de outubro, a justiça polaca já tinha recusado a extradição para os Estados Unidos do cineasta franco-polaco Roman Polanski.

O tribunal regional de Cracóvia (sul) "concluiu pela irreversibilidade do pedido de extradição para os Estados Unidos do cidadão polaco e francês Roman Polanski", declarou o juiz Dariusz Mazur em declarações aos jornalistas.

Em janeiro, os Estados Unidos solicitaram à Polónia um pedido de extradição de Roman Polanski, que vive em França, após uma aparição pública em Varsóvia do realizador de "Repulsa", "Baile dos Vampiros", "O Inquilino", "Rosemary's Baby, ou "Tess".

De acordo com a imprensa polaca, o realizador, presente em Cracóvia, aguardava o veredito a bordo de um avião fretado, no aeroporto da cidade, e preparado para deixar a Polónia em caso de uma decisão desfavorável.

A lei polaca estipula que um tribunal tem poderes para deliberar sobre um pedido de extradição. Uma recusa, confirmada após um eventual apelo de uma das partes perante uma instância superior, encerra o caso em definitivo. E caso de aprovação, a decisão final pertence ao Ministério da Justiça.

Em 1977, na Califórnia, Roman Polanski, então com 43 anos, foi perseguido judicialmente por ter violado Samantha Geimer, na altura com 13 anos.

Após 42 dias de prisão, seguida da sua libertação sob caução, o cineasta que se reconheceu culpado de "relações sexuais ilegais" com uma menor abandonou os Estados Unidos antes do anúncio do veredito, por recear uma pesada condenação que poderia atingir os 50 anos.

A linha de defesa dos advogados polacos consistiu em demonstrar que o pedido de extradição não tinha fundamento devido ao anterior acordo entre o cineasta e a justiça norte-americana.

Na perspetiva dos advogados e nos termos deste acordo, aceite pelo procurador e os advogados da vítima, a pena prevista teria sido cumprida pelo seu cliente.

Lusa

  • Roman Polanski não será extraditado para os EUA após caso de abuso de menor
    0:34

    Cultura

    O realizador de cinema Roman Polanski mostrou-se esta sexta-feira muito feliz com a decisão da Justiça polaca de não o extraditar para os Estados Unidos. O tribunal de Cracóvia considerou que as autoridades norte-americanas violaram, de forma grave, as regras de um julgamento imparcial, no caso que resultou na condenação de Polanski por abuso sexual de uma menor, há quase 40 anos, na Califórnia. Na altura, depois de 42 dias detido, Polanski saiu sob caução e fugiu dos Estados Unidos. Agora, aos 82 anos, diz que o pesadelo finalmente acabou.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17