sicnot

Perfil

Mundo

Kremlin anuncia encontro entre Erdogan e Putin

O presidente turco Erdogan pediu um encontro com o presidente russo, Vladimir Putin. O anúncio foi feito pelo Kremlin há instantes. O encontro terá lugar em Paris, no próximo dia 30.

© POOL New / Reuters

O primeiro-ministro turco está empenhado em retomar as relações diplomáticas com a Rússia.
Num comunicado publicado pelo jornal britânico "The Times", o chefe do executivo da Turquia diz que "Ancara está preparada para trabalhar com Moscovo para apaziguar as tensões entre os dois países".

A Turquia abateu na terça-feira um bombardeiro russo que sobrevoava o espaço aéreo turco. Garante que emitiu 10 avisos em 5 minutos. Moscovo garante que o avião sobrevoava a Síria e que não recebeu qualquer alerta.

A Turquia afirma que a comunidade internacional não pode agir contra si mesmo, caso contrário, os únicos vencedores serão os extremistas do Daesh e o regime sírio.

  • Copiloto russo diz que caça nunca violou o espaço aéreo turco
    2:48

    Mundo

    O copiloto russo, que sobreviveu à queda do caça abatido pela Turquia, diz que o aparelho nunca violou o espaço aéreo turco e que não houve qualquer aviso. A informação surge entre apelos da comunidade internacional para que o incidente seja resolvido pelas vias diplomáticas.

  • Turcos garantem que avião russo violou o espaço aéreo do país
    1:12

    Mundo

    A Rússia ameaça tomar medidas de retaliação contra a Turquia. O primeiro-ministro admite suspender projetos económicos entre os dois países e impôr restrições às transações financeiras. As relações entre Ancara e Moscovo atravessam uma crise grave desde que a aviação turca abateu um caça russo perto da fronteira síria, na terça-feira. Os turcos garantem que o aparelho violou o espaço aéreo e que foi avisado várias vezes antes de ser atingido. No entanto, os russos negam esta versão. O Presidente turco já lamentou a ameaça de Moscovo e rejeitou as acusações de que apoia o Daesh (Estado Islâmico).

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.