sicnot

Perfil

Mundo

Confrontos no México entre polícias e grupos armados causam sete mortos

Vários confrontos armados provocaram nas últimas horas sete mortos, entre os quais dois polícias, no município de Rio Bravo, no Estado mexicano de Tamaulipas, a norte do país, informou o governo federal na sexta-feira.

Na noite de 26 de novembro, "polícias estaduais da Força Tamaulipas foram agredidos em duas ocasiões por membros de um grupo criminoso, caindo em cumprimento do dever dois deles", detalhou o Grupo de Coordenação de Tamaulipas, em comunicado.

O primeiro dos ataques ocorreu pouco depois das 19:00 locais (01:00 de sexta-feira em Lisboa) neste município fronteiriço, dm que foram abatidos dois dos presumíveis delinquentes não identificados que se deslocavam em automóvel.

Neste incidente, foi morto um polícia e uma agente ficou ferida, estando fora de perigo.

No segundo confronto, os polícias estaduais, que procuravam os agressores, voltaram a ser atacados, tendo um segundo agente perdido a vida.

"Os delinquentes agressores, que se deslocavam em vários veículos, bloquearam vários pontos da cidade, para impedir a ação das forças policiais que iam em apoio dos elementos da Força Tamaulipas" e conseguiram escapar, adiantou-se no texto.

Mais tarde, cerca das 04:25 locais (10:25 de Lisboa), ocorreu outro ataque em que três delinquentes, com idades entre 20 e 25 anos, foram mortos.

Há anos que Tamaulipas é disputado pelos cartéis de traficantes designados Os Zetas e o do Golfo.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.