sicnot

Perfil

Mundo

Colômbia recebe 100 milhões de dólares para combater desflorestação da Amazónia

A Colômbia vai receber 100 milhões de dólares da Noruega, Alemanha e Reino Unido para combater a desflorestação no leste da Amazónia, segundo um convénio assinado pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, com representantes daqueles países.

© Nacho Doce / Reuters

"Os benefícios da paz começam a ver-se, e ver-se-ão cada vez mais, em termos ambientais, em ações concretas, como estes recursos que serão levados a essas zonas do território onde há uma grande degradação", assegurou hoje o ministro do Meio Ambiente e desenvolvimento Sustentável colombiano, Gabriel Vallejo López.

Falando na COP21, que decorre em Paris, o governante revelou que um protocolo similar será assinado esta terça-feira, permitindo que a Colômbia receba ajudas de 200 milhões de dólares.

Segundo o ministro, a desflorestação aumentou em algumas zonas da Amazónia, devido a "cultivos ilícitos, aumento das fronteiras agrícolas, mineração ilegal e todo o tipo de atividades criminosas que se desenvolveram nos últimos anos".

O acordo foi anunciado durante uma conferência intitulada "Os bosques e as alterações climáticas", devendo a ajuda financeira começar a chegar à Colômbia a partir de março.

Para Vallejo López, estes acordos representam "uma enorme oportunidade" para a Colômbia, que "tem vindo a fazer um trabalho na área do meio ambiente com países que querem apoiá-lo e acompanhá-lo".

Os convénios surgem após a Noruega, a Alemanha e o Reino Unido terem verificado que estava a ser realizado um programa de reflorestação e, a partir do primeiro trimestre de 2016, chegam os primeiros 35 milhões, destinados a zonas afetadas por 50 anos de conflito.

A COP21, que começou hoje em Paris, decorre até 11 de dezembro, e junta na capital francesa representantes de 195 países, que tentarão alcançar um acordo vinculativo sobre redução de emissões de gases com efeito de estufa que permita limitar, até 2100, o aquecimento da temperatura média global da atmosfera a dois graus centígrados acima dos valores registados antes da revolução industrial.

Até agora, mais de 170 países já apresentaram os seus contributos para a redução de emissões, mas ainda insuficientes para alcançar a meta proposta.

Entre os assuntos pendentes estão a aceitação de um mecanismo de revisão periódica das contribuições nacionais e a existência de um só sistema, sem divisões entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, mas com flexibilidade no tratamento, tema que, juntamente com a responsabilização dos países maiores emissores, serão aspetos mais difíceis de resolver.

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.