sicnot

Perfil

Mundo

Desertor russo detido após mais de 10 anos escondido em floresta

Um desertor do exército russo, que se escondeu durante mais de 10 anos numa floresta da península de Kamchatka, no extremo oriental da Rússia, foi detido pela polícia, anunciaram esta segunda-feira as autoridades locais.

De acordo com a lei russa, os soldados culpados de deserção arriscam até sete anos de prisão. (Arquivo)

De acordo com a lei russa, os soldados culpados de deserção arriscam até sete anos de prisão. (Arquivo)

© Maxim Shemetov / Reuters

O homem, de 30 anos, cuja identidade não foi divulgada, foi recrutado em 2003 e tinha já realizado o primeiro dos dois anos de serviço quando desertou, segundo a polícia.

"Ele viveu em Kamchatka, a maior parte do tempo escondido na floresta. Fez pequenos trabalhos e não tentou entrar em contacto com a família", declarou num comunicado a delegação regional do Ministério do Interior.

O desertor é originário de Taganrog, no sudoeste da Rússia. Segundo o comunicado, as tentativas de o encontrar foram suspensas depois de a sua família ter identificado o cadáver de um homem como sendo o seu alguns meses após o desaparecimento.

No bosque, o homem construiu uma pequena casa, com materiais de construção recuperados, na periferia de Petropavlovsk-Kamtchatski, a capital regional. Para sobreviver trabalhava em quintas ou recolhia sucata.

De acordo com a lei russa, os soldados culpados de deserção arriscam até sete anos de prisão, embora a presidente da organização Comité das Mães de Soldados Russos, Valentina Melnikova, duvide que aquele desertor seja condenado.

"Houve muitos casos de deserção no extremo oriental nos últimos tempos. Alguns esconderam-se durante anos em caves, mas eles fazem um exame psiquiátrico e são deixados em liberdade", disse à agência France Presse.

Lusa

  • Vidas de fogo
    12:04

    Reportagem Especial

    Este ano durante o período mais crítico dos fogos, estão no terreno quase dez mil operacionais, a maioria bombeiros voluntários. A Reportagem Especial da SIC deste domingo "Vidas de fogo" dá a conhecer histórias de bombeiros que sobreviveram às chamas enquanto serviam o país.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.