sicnot

Perfil

Mundo

Milhares na rua em Londres contra ataques ao Daesh

Milhares de pessoas manifestaram-se esta terça-feira em Londres contra a proposta do primeiro-ministro britânico de lançar ataques na Síria contra o grupo extremista Daesh, na véspera de uma votação no parlamento sobre o tema.

Os manifestantes desfilaram ao final da tarde perto do Parlamento, em Westminster, no centro da capital britânica, seguindo para as sedes dos partidos dos conservadores e dos trabalhistas.

Os manifestantes desfilaram ao final da tarde perto do Parlamento, em Westminster, no centro da capital britânica, seguindo para as sedes dos partidos dos conservadores e dos trabalhistas.

© Neil Hall / Reuters

Os manifestantes desfilaram ao final da tarde perto do Parlamento, em Westminster, no centro da capital britânica, seguindo para as sedes dos partidos dos conservadores e dos trabalhistas, constatou a agência noticiosa AFP no local.

"Não aos bombardeamentos na Síria" e "David Cameron, tem vergonha!", gritavam os manifestantes, que empunhavam cartazes onde se lia "Parem a guerra".

"Quando bombardeamos os habitantes de um país, nós já não estamos em segurança, nós perdemos segurança", declarou Salma Yaqoob, responsável da organização pacifista 'Stop the War' (Parem a Guerra).

Uma das manifestantes, Jenny Eyles, citada pela AFP, disse que "a única maneira de travar o grupo Estado Islâmico é cortar-lhe o financiamento e impedir que tenha acesso a armas".

No sábado passado, cerca de cinco mil pessoas tinham-se manifestado em Londres contra a proposta de David Cameron.

Ainda que as forças britânicas já levem a cabo raides aéreos no Iraque contra o Estado Islâmico, o parlamento debate na quarta-feira uma extensão das operações para território sírio.

David Cameron decidiu levar a proposta a votação depois de garantir uma maioria favorável a essa intervenção.

Lusa

  • Cameron aguarda luz verde do Parlamento para atacar Daesh
    0:52

    Daesh

    O primeiro-ministro britânico disse esta segunda-feira que é tempo do Reino Unido apoiar a coligação no combate ao Daesh. David Cameron espera obter do Parlamento, esta semana, luz verde para avançar com ataques na Síria. A votação foi pedida para quarta-feira e o chefe de governo mostra-se confiante e seguro de que é do interesse nacional dos britâncos participar nas operações.

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.