sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro quer radicalizar a revolução venezuelana

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou hoje que radicalizará a revolução bolivariana a partir de 7 de dezembro, caso as forças que apoiam o chavismo obtenham a maioria nas eleições parlamentares previstas para o domingo anterior.

(arquivo)

(arquivo)

© STRINGER Bolivia / Reuters

O anúncio teve lugar durante um ato de campanha do Partido Socialista Unido da Venezuela, no Estado venezuelano de Portuguesa, a 480 quilómetros a sudoeste de Caracas.

"Vamos ter uma vitória heroica, porque heroica é a paixão do povo da Venezuela. Sabem o que vou fazer um dia depois [das eleições], a 07 de dezembro, com a vitória que o povo vai obter?", questionou o chefe de Estado, respondendo que via "radicalizar a revolução".

"Pela vitória do povo, o que vou fazer é radicalizar a revolução para acabar com a guerra económica. Com vocês, por vocês e para vocês. Isso é o que vamos fazer!", garantiu.

Recordando o líder socialista Hugo Chávez, que morreu em 2013, Nicolás Maduro sentenciou que as forças que apoiam a revolução bolivariana vão ganhar a maioria nas eleições parlamentares de 06 de dezembro, porque, nesse dia "ganhará (Hugo) Chávez" e porque "todos unidos são Chávez".

Cerca de 19,5 milhões de venezuelanos estão recenseados para votar nas eleições de 06 de dezembro, num escrutínio em que vão ser renovados os 167 lugares que compõem o parlamento venezuelano, incluindo três representantes indígenas.

Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01