sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro quer radicalizar a revolução venezuelana

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou hoje que radicalizará a revolução bolivariana a partir de 7 de dezembro, caso as forças que apoiam o chavismo obtenham a maioria nas eleições parlamentares previstas para o domingo anterior.

(arquivo)

(arquivo)

© STRINGER Bolivia / Reuters

O anúncio teve lugar durante um ato de campanha do Partido Socialista Unido da Venezuela, no Estado venezuelano de Portuguesa, a 480 quilómetros a sudoeste de Caracas.

"Vamos ter uma vitória heroica, porque heroica é a paixão do povo da Venezuela. Sabem o que vou fazer um dia depois [das eleições], a 07 de dezembro, com a vitória que o povo vai obter?", questionou o chefe de Estado, respondendo que via "radicalizar a revolução".

"Pela vitória do povo, o que vou fazer é radicalizar a revolução para acabar com a guerra económica. Com vocês, por vocês e para vocês. Isso é o que vamos fazer!", garantiu.

Recordando o líder socialista Hugo Chávez, que morreu em 2013, Nicolás Maduro sentenciou que as forças que apoiam a revolução bolivariana vão ganhar a maioria nas eleições parlamentares de 06 de dezembro, porque, nesse dia "ganhará (Hugo) Chávez" e porque "todos unidos são Chávez".

Cerca de 19,5 milhões de venezuelanos estão recenseados para votar nas eleições de 06 de dezembro, num escrutínio em que vão ser renovados os 167 lugares que compõem o parlamento venezuelano, incluindo três representantes indígenas.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51