sicnot

Perfil

Mundo

Dilma diz que são "inconsistentes e improcedentes" razões de pedido de impugnação

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, afirmou hoje que são "inconsistentes e improcedentes" as razões do pedido de impugnação de seu mandato, aceite hoje pelo Presidente da Câmara dos Deputados do país, Eduardo Cunha.

Eraldo Peres

"Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim. Não paira contra mim nenhuma suspeita de desvio de dinheiro, não possuo conta no exterior, nem ocultei do conhecimento público bens pessoais", disse a Presidente, em Brasília.

Dilma Rousseff realçou que seu "passado e presente atestam" a sua idoneidade e o seu "inquestionável compromisso com a lei e com a causa pública".

Na sua declaração, o Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, anunciou hoje ter aceitado um pedido de impugnação do mandato de Dilma Rousseff, protocolado na Casa Legislativa em 14 de outubro por juristas.

O pedido de "impeachment" sustenta que o Governo cometeu irregularidades fiscais no atual mandato, iniciado em janeiro deste ano, ao contrário de solicitações anteriores, que não foram acolhidas por levarem em conta somente questões relacionadas com a Presidência terminada em 2014.

A aceitação do pedido por Eduardo Cunha coincide com a semana em que o Partido dos Trabalhadores, que governa o país, orientou os seus deputados para votarem contra o Presidente da Câmara na Comissão de Ética da Casa, que analisa se dá ou não continuidade ao processo de quebra de decoro parlamentar, por ter mentido aos seus pares.

Cunha é investigado pela Operação Lava Jato, que apura crimes de corrupção na Petrobras, suspeito de receber dinheiro ilegal, de suborno, em contas na Suíça. Embora tenha negado na Câmara que possua contas no país, o Ministério Público suíço identificou-as, em cooperação com autoridades brasileiras.

A declaração de Dilma Rousseff é vista como uma crítica a Eduardo Cunha, devido às suspeitas que existem contra o Presidente da Câmara.

O pedido de impugnação ainda será analisado por uma comissão da Câmara que reúne deputados e, caso a decisão aprove o requerimento, o pedido passa para votação no plenário, sendo necessária uma aprovação de dois terços (342 deputados) para o processo seguir em frente.

O passo seguinte é a suspensão do Presidente do cargo e o julgamento no plenário do Senado, se houver crime de responsabilidade, ou no Supremo Tribunal Federal, se for crime comum.

Caso o Presidente perca o mandato, quem assume o cargo é o vice-Presidente, Michel Temer, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), formação política que integra a coligação governamental liderada por Rousseff e a que pertence também Eduardo Cunha.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.