sicnot

Perfil

Mundo

Governo de Montenegro orgulhoso de convite da NATO

O Governo de Montenegro manifestou-se hoje orgulhoso pelo convite da NATO para iniciar negociações com vista a integrar a Aliança Atlântica, enquanto a Rússia prometeu tomar "medidas de resposta" que, contudo, não foram especificadas.

Jens Stoltenberg, secretário-geral da NATO, cumprimenta Igor Luksic, ministro dos Negócios Estrangeiros do Montenegro (à esquerda).

Jens Stoltenberg, secretário-geral da NATO, cumprimenta Igor Luksic, ministro dos Negócios Estrangeiros do Montenegro (à esquerda).

© Eric Vidal / Reuters

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da aliança decidiram hoje oficialmente convidar Montenegro a entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), o que marca o início do processo de negociações para que o país se torne o 29.º membro da organização.

Montenegro, ex-território que integrava a antiga Jugoslávia, é um dos vários países do leste europeu candidatos à entrada na NATO, tal como a Bósnia-Herzegovina, Macedónia e Geórgia.

Hoje, em Bruxelas, o ministro dos Negócios Estrangeiros montenegrino, Igor Luksic, comentou o "orgulho" do país pelo convite da NATO e prometeu continuar com as reformas e com a luta contra a corrupção em Montenegro.

"O convite a Montenegro é também uma excelente notícia para o resto dos Balcãs e para o reforço da segurança e da estabilidade na região", sublinhou Luksic, citado pela agência noticiosa montenegrina Mina.

O chefe da diplomacia de Montenegro adiantou que, para o país, 02 de dezembro fica assim como "dia histórico", salientando, porém, que o convite não é o final do processo mas sim o início de um novo, de forma a ser possível completar os pressupostos necessários até à integração como membro de pleno direito.

"Conseguimos convencê-los que Montenegro está totalmente dedicado às reformas. Continuaremos com a mesma intensidade a luta contra a corrupção e contra o crime organizado e vamos melhorar ainda mais o setor da Defesa", garantiu Luksic.

Em Moscovo, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou que a Rússia irá tomar "medidas de resposta" ao convite feito pela NATO a Montenegro.

"Moscovo sempre disse que a expansão da NATO e das suas estruturas militares para o Leste (da Europa) não pode ficar sem resposta do próprio Leste, sobretudo da Rússia, no que diz respeito à garantir a segurança e a paridade de interesses", frisou Peskov.

Montenegro é um país candidato que manifestou a sua intenção da aderir à NATO em 2006 - ano em que se separou da Sérvia -, tendo, três anos depois, sido convidado para entrar no plano de ação para a adesão, o que constitui o primeiro passo antes de dar início às negociações.

Lusa

  • Lesados do BES manifestam-se hoje no Porto

    País

    Um grupo de lesados pelo Banco Espírito Santo (BES) concentra-se hoje no Porto, junto ao Novo Banco, para exigir "a totalidade do dinheiro e os juros vencidos até à data", indicou um dos investidores.

  • Árbitros recuam e vão apitar jogos do próximo fim de semana

    Desporto

    Os árbitros recuaram esta quarta-feira na intenção de não comparecer nos jogos do próximo fim de semana. Depois de na terça-feira a maioria dos juízes terem apresentado um pedido de dispensa dos jogos da 12.ª jornada do campeonato, esta quarta-feira adiaram a decisão após uma reunião com o Conselho de Arbitragem.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • Astronautas enviam mensagem no Dia de Ação de Graças
    1:06

    Mundo

    Comemora-se esta quinta-feira o Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. Mais de 50 milhões de norte-americanos viajam ao encontro da família para celebrar o feriado. Também na Estação Espacial Internacional a data não foi esquecida.

  • Jorge Jesus e Ana Malhoa contra o consumo de sal
    1:21
  • Putin apela a concessões para solução do conflito na Síria
    1:07

    Mundo

    Vladimir Putin afirma que há uma oportunidade real de pôr fim ao conflito na Síria mas avisa que são necessárias concessões de todas as partes envolvidas. O presidente russo recebeu esta quarta-feira os homólogos do Irão e da Turquia em Sochi, na Rússia.