sicnot

Perfil

Mundo

Irão sublinha que relatório da ONU confirma fim pacífico de programa nuclear

O Irão afirmou esta quarta-feira que o relatório da Agência Internacional da Energia Atómica (OIEA) sobre o seu programa nuclear vai permitir encerrar a investigação sobre as possíveis dimensões militares, porque nunca se desviou de fins pacíficos.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Heinz-Peter Bader / Reuters

"O relatório sublinha a natureza pacífica do programa nuclear iraniano e abre caminho para encerrar o dossier sobre as possíveis dimensões nucleares" na Junta de Governadores da OIEA, disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Abbas Araqchi.

Segundo o vice-ministro, a Junta de Governadores deve agora encerrar o caso e permitir que avance o Plano Integral de Ação Conjunta, o acordo nuclear alcançado entre o Irão e os Estados Unidos, França, China, Rússia, Reino Unido e Alemanha.

No relatório, a agência especializada da ONU disse não ter indicações credíveis de atividades relevantes no Irão para o desenvolvimento de um arma nuclear desde o ano de 2009, mas que as atividades desenvolvidas "não avançaram mais além do que estudos científicos e de viabilidade e de aquisição de certas competências e capacidades técnicas relevantes".

O vice-ministro insistiu que aquelas "pequenas atividades" foram estudos "com tecnologia de duplo uso" e que o Irão as realizou com "fins pacíficos".

Na sequência do relatório da OIEA, os Estados Unidos afirmaram estarem prontos para dar o próximo passo na implementação do acordo nuclear.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Mark Toner, disse que a agência da ONU confirmou a alegação de Washington de que Teerão tinha tentado fazer uma bomba nuclear, mas sublinhou que o Irão cooperou de forma adequada com os investigadores.

"O relatório é consistente. A OIEA confirmou que o Irão cumpriu os seus compromissos para dar respostas aos pedidos no âmbito do roteiro para o esclarecimento de questões passadas e presentes", disse, acrescentando que agora é preciso concentrarem-se na implementação do acordo nuclear.

Já Israel, pediu para que a investigação da agência especializada da ONU seja aprofundada e intensificada e que a comunidade internacional utilize todos os meios ao seu alcance para impedir o Irão de construir secretamente uma arma nuclear.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.