sicnot

Perfil

Mundo

NATO convida Montenegro para ser o 29º membro da Aliança Atlântica

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO convidaram hoje o Montenegro a juntar-se à aliança militar liderada pelos Estados Unidos, uma decisão contestada por Moscovo, que a considera uma ameaça à estabilidade nos Balcãs.

© Jonathan Ernst / Reuters

"Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO tomaram a decisão histórica de iniciar negociações de adesão para que o Montenegro se torne o 29.º membro", disse secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg.

"É um bom dia para Montenegro, para os Balcãs ocidentais e para toda a aliança", afirmou.

A "política de portas abertas" da NATO está inscrita no seu tratado de fundação, no qual assegura estar disposta a integrar "qualquer Estado que esteja em posição de cumprir os princípios do tratado e de contribuir para a segurança na zona do Atlântico Norte".

Na última cimeira da NATO, celebrada no País de Gales em 2014, os líderes aliados pediram para que fosse tomada uma decisão sobre a adesão do Montenegro nesta reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros.

A partir de agora vai começar a negociação do protocolo de adesão, com a "integração plena" a decorrer apenas seis a nove meses mais tarde, segundo fontes diplomáticas.

Montenegro é um país candidato, que se uniu à associação pela paz da Aliança em 2006 -- ano em que se separou da Sérvia -- e que posteriormente foi convidado a entrar no plano de ação para a adesão em 2009.

Os últimos países a unirem-se à NATO foram a Albânia e a Croácia em 2009, que tinham sido convidados na cimeira de Bucareste em abril de 2008.

Além do Montenegro, são atualmente candidatos a Bósnia-Herzegovina, a Geórgia e a antiga República Jugoslava da Macedónia.

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.