sicnot

Perfil

Mundo

NATO convida Montenegro para ser o 29º membro da Aliança Atlântica

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO convidaram hoje o Montenegro a juntar-se à aliança militar liderada pelos Estados Unidos, uma decisão contestada por Moscovo, que a considera uma ameaça à estabilidade nos Balcãs.

© Jonathan Ernst / Reuters

"Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO tomaram a decisão histórica de iniciar negociações de adesão para que o Montenegro se torne o 29.º membro", disse secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg.

"É um bom dia para Montenegro, para os Balcãs ocidentais e para toda a aliança", afirmou.

A "política de portas abertas" da NATO está inscrita no seu tratado de fundação, no qual assegura estar disposta a integrar "qualquer Estado que esteja em posição de cumprir os princípios do tratado e de contribuir para a segurança na zona do Atlântico Norte".

Na última cimeira da NATO, celebrada no País de Gales em 2014, os líderes aliados pediram para que fosse tomada uma decisão sobre a adesão do Montenegro nesta reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros.

A partir de agora vai começar a negociação do protocolo de adesão, com a "integração plena" a decorrer apenas seis a nove meses mais tarde, segundo fontes diplomáticas.

Montenegro é um país candidato, que se uniu à associação pela paz da Aliança em 2006 -- ano em que se separou da Sérvia -- e que posteriormente foi convidado a entrar no plano de ação para a adesão em 2009.

Os últimos países a unirem-se à NATO foram a Albânia e a Croácia em 2009, que tinham sido convidados na cimeira de Bucareste em abril de 2008.

Além do Montenegro, são atualmente candidatos a Bósnia-Herzegovina, a Geórgia e a antiga República Jugoslava da Macedónia.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.