sicnot

Perfil

Mundo

NATO convida Montenegro para ser o 29º membro da Aliança Atlântica

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO convidaram hoje o Montenegro a juntar-se à aliança militar liderada pelos Estados Unidos, uma decisão contestada por Moscovo, que a considera uma ameaça à estabilidade nos Balcãs.

© Jonathan Ernst / Reuters

"Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO tomaram a decisão histórica de iniciar negociações de adesão para que o Montenegro se torne o 29.º membro", disse secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg.

"É um bom dia para Montenegro, para os Balcãs ocidentais e para toda a aliança", afirmou.

A "política de portas abertas" da NATO está inscrita no seu tratado de fundação, no qual assegura estar disposta a integrar "qualquer Estado que esteja em posição de cumprir os princípios do tratado e de contribuir para a segurança na zona do Atlântico Norte".

Na última cimeira da NATO, celebrada no País de Gales em 2014, os líderes aliados pediram para que fosse tomada uma decisão sobre a adesão do Montenegro nesta reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros.

A partir de agora vai começar a negociação do protocolo de adesão, com a "integração plena" a decorrer apenas seis a nove meses mais tarde, segundo fontes diplomáticas.

Montenegro é um país candidato, que se uniu à associação pela paz da Aliança em 2006 -- ano em que se separou da Sérvia -- e que posteriormente foi convidado a entrar no plano de ação para a adesão em 2009.

Os últimos países a unirem-se à NATO foram a Albânia e a Croácia em 2009, que tinham sido convidados na cimeira de Bucareste em abril de 2008.

Além do Montenegro, são atualmente candidatos a Bósnia-Herzegovina, a Geórgia e a antiga República Jugoslava da Macedónia.

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46