sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento britânico decide hoje bombardeamentos aéreos na Síria

O parlamento britânico debate e vota hoje a moção apresentada na terça-feira pelo Governo conservador do primeiro-ministro britânico, James Cameron, que pede autorização para bombardeamentos aéreos na Síria.

© POOL New / Reuters

O texto, mais extenso que o habitual, faz referência às principais dúvidas dos deputados, e afirma designadamente que a intervenção militar não vai incluir tropas terrestres e inclui-se "numa missão mais ampla para trazer a paz e a estabilidade" ao país do Médio Oriente.

O Governo conservador, que pretende assegurar um amplo poio parlamentar, faz referência a uma recente resolução da ONU como "base legal" para o ataque, ao solicitar aos Estados que adotem as "medidas necessárias" para prevenir atentados do grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Cameron deseja associar-se aos bombardeamentos aéreos na Síria liderados pelos Estados Unidos, que já foram rejeitados pelo parlamento de Londres em 2013, mas ainda não parece seguro sobre a obtenção da necessária maioria parlamentar.

Para além do Partido Trabalhista (Labour), opõem-se ao ataque o Partido Nacionalista Escocês (SNP) e diversos deputados conservadores, por considerarem que o envolvimento militar britânico apenas agravará a situação na Síria.

No entanto, e pelo facto de os deputados trabalhistas terem liberdade de voto, numa câmara em que os conservadores garantem maioria absoluta, diversos observadores admitem a aprovação da moção.

No texto apresentado terça-feira, o Governo assegura que vai continuar a fornecer ajuda aos refugiados sírios e reconhece a importância de "planificar a estabilização e reconstrução pós-conflito", e interromper as fontes de financiamento do EI.

  • Milhares na rua em Londres contra ataques ao Daesh

    Mundo

    Milhares de pessoas manifestaram-se esta terça-feira em Londres contra a proposta do primeiro-ministro britânico de lançar ataques na Síria contra o grupo extremista Daesh, na véspera de uma votação no parlamento sobre o tema.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.