sicnot

Perfil

Mundo

Terminada audição em tribunal de luso-angolano Luaty Beirão ao fim de 2 dias

A audição do luso-angolano Luaty Beirão, o sétimo de 17 réus em julgamento, em Luanda, acusados de atos preparatórios de uma rebelião, terminou hoje sem que o ativista tivesse respondido às perguntas do Ministério Público (MP).

Luaty Beirão, que estava a ser ouvido pelo segundo dia, manteve-se em silêncio durante as quase duas horas de perguntas feitas pelo MP, que apresentou provas como um quadro utilizado nas palestras que o grupo de ativistas realizaria para discutir as estratégias da obra "Ferramentas para Destruir o Ditador e Evitar uma Nova Ditadura, Filosofia da Libertação para Angola", de Domingos da Cruz, também acusado neste processo.

Em declarações à imprensa, o advogado de defesa, Luís do Nascimento, considerou as questões colocadas pelo MP, sobre as reuniões, intenções e participação dos vários elementos, como "um autêntico delírio" e que não têm "correspondência com a realidade".

"De resto, a grande prova que foi presente é um quadro, e com a leitura daquele quadro não se consegue ver onde é que está o crime de rebelião ou de atentado contra o Presidente da República e outros órgãos de soberania", frisou Luís do Nascimento.

No quadro apresentado hoje como prova, estavam traçados alguns esboços, onde se podiam ler as palavras "manipulação", com setas a indicar para "imprensa, instituições religiosas e educação", e ainda num outro canto do quadro "repressão", com setas a indicar "JES", acrónimo de José Eduardo dos Santos, por sua vez, para os acrónimos UGP, FAA, PN, e judicial.

"A prova que aparece é a do quadro, mas o quadro vamos ver, vamos discutir, mas não sei que prova. Só pelo facto de estarem as iniciais do nome do Presidente da República, acho que isso não é crime", ironizou.

Na sessão de hoje foram igualmente apresentados dois vídeos, que a acusação vai pedir a sua transcrição, com imagens de dois encontros realizados pelos jovens ativistas angolanos, antes da operação de detenção dos 15 arguidos - outras duas estão a ser julgadas em liberdade -, a 20 de junho deste ano.

Nos vídeos aparecem com maior destaque os réus Domingos da Cruz e Luaty Beirão.

Segundo Luís do Nascimento, a defesa vai solicitar a transcrição dos mesmos para análise do seu conteúdo e "se mostrar que aquilo não é crime, é uma discussão, uma conversa, na nossa roda de amigos".

"Acho que se se gravasse uma série de conversas, das que se tem em casa, acho que pelo menos 70, 80 por cento da população angolana estava presa", ironizou.

O final da manhã e início da tarde serviu ainda para a defesa interrogar Luaty Beirão.

Questionado se considerava estar a cometer um crime por afirmar que Angola é uma pseudodemocracia e que o Presidente da República é um ditador, o luso-angolano negou que seja crime.

Na sessão de terça-feira, Luaty Beirão afirmou que Angola é uma pseudodemocracia, voltando a apelar à saída do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

A sessão prossegue na quinta-feira, na 14.ª Secção do Tribunal Provincial de Luanda, em Benfica, com a audição de Arante Kivuvu, o sétimo dos 17 ativistas em julgamento desde o passado dia 16 de novembro.

Lusa

  • Militares da GNR saem hoje à rua em protesto

    País

    A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG) realizam esta quarta-feira uma ação de protesto em Lisboa devido "à falta de resposta" do Governo às principais reivindicações.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Marcelo termina hoje visita de Estado ao Luxemburgo

    País

    O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, termina esta quarta-feira a visita de Estado de dois dias ao Luxemburgo com uma agenda dedicada a projetos em que estão envolvidos portugueses, além de um almoço com o primeiro-ministro luxemburguês.

  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.