sicnot

Perfil

Mundo

Hungria contesta quotas de migrantes definidas pela União Europeia

A Hungria anunciou hoje ter apresentado junto da justiça europeia uma contestação legal do plano da União Europeia de distribuição de 160.000 requerentes de asilo pelos Estados membros por meio de um sistema de quotas.

(arquivo)

(arquivo)

reuters

"A queixa foi apresentada", declarou o porta-voz do ministro da Justiça húngaro, Gabor Kaleta, citado pela agência de notícias francesa AFP.

Este recurso, anunciado há várias semanas por Budapeste, ocorre um dia após a interposição pela Eslováquia de um processo judicial semelhante contra as quotas impostas pela UE, no Tribunal Europeu de Justiça, no Luxemburgo.

De acordo com o sistema de quotas europeu, tanto Budapeste quanto Bratislava devem receber cerca de 2.300 migrantes cada.

Em setembro, a Hungria votou contra este esquema, juntamente com a República Checa, a Eslováquia e a Roménia, numa reunião da UE, revelando uma profunda cisão entre os membros ocidentais e orientais do bloco.

"Protestar não chega, é preciso passar à ação", sustentou hoje o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, pouco antes de a queixa ter sido entregue.

O líder da direita defende há muito tempo uma política radicalmente contra os migrantes, argumentando que o afluxo de tantos muçulmanos representou uma ameaça de segurança e pôs em causa a identidade cristã do continente.

"Enquanto este Governo for vivo, não haverá qualquer quota, ou quaisquer requerentes de asilo rejeitados aceites de volta", frisou no mês passado.

Quase 860.000 migrantes entraram na Europa este ano, até agora, muitos dos quais fugindo à violência na Síria, no Iraque e no Afeganistão.

A Hungria foi um dos principais países de trânsito para pessoas que seguiam a pé pela rota dos Balcãs Ocidentais para alcançar a Europa do norte, até ter encerrado as suas fronteiras do sul com barreiras de arame farpado em outubro.

A queixa hoje apresentada coincidiu com o lançamento de uma virulenta campanha de comunicação contra o regime de quotas.

Mensagens patrocinadas pelo Governo surgiram em jornais de circulação nacional com a manchete: "A quota aumenta a ameaça terrorista!", sobre um fundo negro.

Noutras, lia-se: "Um imigrante ilegal entra na Europa em média a cada 12 segundos"; "Não sabemos quem eles são, nem quais são as suas intenções"; e "Não sabemos quantos terroristas há entre eles".

No âmbito desta ofensiva a nível nacional, o Governo fez saber que afixará igualmente, nos próximos dias, cartazes com o 'slogan': "Vamos defender o País".

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59