sicnot

Perfil

Mundo

Hungria contesta quotas de migrantes definidas pela União Europeia

A Hungria anunciou hoje ter apresentado junto da justiça europeia uma contestação legal do plano da União Europeia de distribuição de 160.000 requerentes de asilo pelos Estados membros por meio de um sistema de quotas.

(arquivo)

(arquivo)

reuters

"A queixa foi apresentada", declarou o porta-voz do ministro da Justiça húngaro, Gabor Kaleta, citado pela agência de notícias francesa AFP.

Este recurso, anunciado há várias semanas por Budapeste, ocorre um dia após a interposição pela Eslováquia de um processo judicial semelhante contra as quotas impostas pela UE, no Tribunal Europeu de Justiça, no Luxemburgo.

De acordo com o sistema de quotas europeu, tanto Budapeste quanto Bratislava devem receber cerca de 2.300 migrantes cada.

Em setembro, a Hungria votou contra este esquema, juntamente com a República Checa, a Eslováquia e a Roménia, numa reunião da UE, revelando uma profunda cisão entre os membros ocidentais e orientais do bloco.

"Protestar não chega, é preciso passar à ação", sustentou hoje o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, pouco antes de a queixa ter sido entregue.

O líder da direita defende há muito tempo uma política radicalmente contra os migrantes, argumentando que o afluxo de tantos muçulmanos representou uma ameaça de segurança e pôs em causa a identidade cristã do continente.

"Enquanto este Governo for vivo, não haverá qualquer quota, ou quaisquer requerentes de asilo rejeitados aceites de volta", frisou no mês passado.

Quase 860.000 migrantes entraram na Europa este ano, até agora, muitos dos quais fugindo à violência na Síria, no Iraque e no Afeganistão.

A Hungria foi um dos principais países de trânsito para pessoas que seguiam a pé pela rota dos Balcãs Ocidentais para alcançar a Europa do norte, até ter encerrado as suas fronteiras do sul com barreiras de arame farpado em outubro.

A queixa hoje apresentada coincidiu com o lançamento de uma virulenta campanha de comunicação contra o regime de quotas.

Mensagens patrocinadas pelo Governo surgiram em jornais de circulação nacional com a manchete: "A quota aumenta a ameaça terrorista!", sobre um fundo negro.

Noutras, lia-se: "Um imigrante ilegal entra na Europa em média a cada 12 segundos"; "Não sabemos quem eles são, nem quais são as suas intenções"; e "Não sabemos quantos terroristas há entre eles".

No âmbito desta ofensiva a nível nacional, o Governo fez saber que afixará igualmente, nos próximos dias, cartazes com o 'slogan': "Vamos defender o País".

Lusa

  • "Temos de jogar melhor do que frente à Espanha"
    0:45
  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • Os momentos que marcaram o 6.º dia de Mundial
    0:58
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11

    Mundo

    A nova política de imigração de Donald Trump está a suscitar reações indignadas. Na fronteira com o México, as crianças refugiadas estão a ser retiradas à força aos pais e levadas para centros de acolhimento. Esta terça-feira, foi divulgado um registo áudio de uma criança a suplicar pelos pais a um dos agentes da polícia fronteiriça.

  • Protecionismo de Trump abala Wall Street

    Economia

    Abalada pela exacerbação das disputas comerciais entre os EUA e a China, a bolsa nova-iorquina encerrou esta terça-feira em baixa, com o seletivo Dow Jones a fechar em queda pela sexta sessão consecutiva.