sicnot

Perfil

Mundo

Mulheres e adolescentes principais vítimas de conflitos e crises humanitárias

Mulheres e raparigas adolescentes estão a ser particularmente afetadas pelo crescente número de conflitos e crises humanitárias devido à falta de serviços de saúde como o apoio à maternidade e a prevenção de doenças sexuais, alerta a ONU.

Adolescente síria num campo de refugiados da ONU na Jordânia (Arquivo)

Adolescente síria num campo de refugiados da ONU na Jordânia (Arquivo)

© Majed Jaber / Reuters

O relatório do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP) sobre "O Estado da População Mundial", os conflitos, desastres naturais e outras situações de emergência humanitária estão a ter maior um grande impacto na saúde e bem estar das mulheres e raparigas devido às necessidades específicas em termos de saúde sexual e reprodutiva.

Estima-se que cerca de 26 milhões, um quarto do total de 100 milhões de pessoas vítimas de crises humanitárias em termos de saúde e bem estar, são mulheres e raparigas em idade reprodutiva, ou seja, entre os 15 e 49 anos.

Violência física e sexual, incluindo violação, e a ausência ou quase de serviços básicos como serviços de maternidade ou planeamento familiar aumentam os casos de mortalidade infantil e os riscos deste grupo de contrair doenças sexualmente transmissíveis, como VIH ou SIDA.

O relatório, que este ano adotou este ano o título "Abrigo da Tempestade: Uma agenda transformadora para mulheres e raparigas num mundo propenso a crises", apela a uma mudança do paradigma na resposta global a crises humanitárias, pedindo maior ênfase à prevenção, preparação e reforço da resiliência de países, comunidades, instituições e indivíduos.

"Ter os meios para evitar uma gravidez e estar a salvo de violência sexual são direitos humanos básicos", defende a diretora-executiva do FNUAP, Babatunde Osotimehin, que acrescentou: "Os direitos não desaparecem, e as mulheres não deixam de dar à luz quando os conflitos rebentam ou acontece um desastre."

O FNUAP é cada vez mais solicitado a enviar assistência a emergências humanitárias, tendo só este ano respondido a crises em 38 países em 2015, porém confronta-se com problemas de financiamento.

Este ano, revelou, recebeu menos de metade do necessário para providenciar assistência em termos de saúde sexual e reprodutiva a mulheres e raparigas adolescentes.

Também as Nações Unidas têm enfrentado dificuldades para responder às crises humanitárias: em 2014, registou um buraco de 7,5 mil milhões de dólares (7,06 mil milhões de euros) nos 19,5 mil milhões de dólares (18,37 mil milhões de euros) considerados necessários.

Lusa

  • "Só tive tempo de avisar o meu sogro e o meu marido e disse: corram!"
    2:17
  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • "Atrás das Câmaras" em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC