sicnot

Perfil

Mundo

China inicia construção do maior parque eólico do país

A China começou a construir o maior parque eólico do país na ilha de Nanri, na província de Fujian (sudeste), que se prevê que terá uma potência instalada de 400 MW, anunciaram hoje as autoridades locais.

© Andrew Wong / Reuters

Com conclusão prevista para 2018, a estrutura produzirá em torno de 1,4 milhões de quilowatts-hora (kWh), o equivalente a queimar 450 mil toneladas de carvão, segundo números divulgados pela agência noticiosa oficial chinesa Xinhua.

Segundo fontes ocidentais, o "gigante" asiático investiu 89 mil milhões de dólares em energia limpa em 2014, o maior volume entre as nações em desenvolvimento, mas cerca de dois terços da energia consumida no país continuam a assentar no carvão.

"Grande parte do aumento da capacidade instalada de produção de energia limpa no mundo provém da China", assinalou à Lusa um consultor português na área do ambiente Renato Roldão, radicado em Pequim desde 2008.

"Mas a capacidade instalada não se reflete no consumo", ressalva, acrescentando que "boa parte dessa energia é desperdiçada".

Na quarta-feira, o Governo chinês anunciou um plano de modernização das instalações energéticas que utilizam carvão, visando uma redução das emissões poluentes em 60%, antes de 2020.

A medida representa uma redução anual de 180 milhões de toneladas nas emissões chinesas de CO2 (dióxido de carbono).

Estima-se que o país tenha libertado entre nove e dez mil milhões de toneladas de CO2 em 2013, quase o dobro dos Estados Unidos da América e cerca de duas vezes e meia mais do que a União Europeia.

Durante a cimeira para as alterações climáticas das Nações Unidas, que decorre em Paris, vinte países, entre eles os mais populosos - China, EUA, Índia, Indonésia e Brasil - e os mais poluentes, concordaram em duplicar o seu investimento em investigação sobre energias limpas.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.