sicnot

Perfil

Mundo

Barack Obama pede mais medidas para o controlo de armas

O Presidente norte-americano, Barack Obama, declarou hoje que os Estados Unidos "não ficarão aterrorizados" e renovou o seu apelo por mais medidas apertadas de controlo de armas, referindo-se ao ataque em San Bernardino, na Califórnia, que fez 14 mortos.

© Kevin Lamarque / Reuters

Com a forte possibilidade do ataque em San Bernardino estar ligado ao terrorismo, nomeadamente inspirado no grupo extremista Estado Islâmico, Obama prometeu que as investigações sobre o caso "vão até ao fundo" de como e porque tal aconteceu.

Tashfeen Malik e Syed Farook irromperam na quarta-feira numa festa de final de ano em San Bernardino, no Estado da Califórnia, e abriram fogo na sala que estava cheia de colegas de trabalho de Syed Farook, matando 14 pessoas e ferindo mais de 20.

"É inteiramente possível que esses dois atacantes tivessem sido radicalizados para cometer esse ato de terror", referiu Obama no seu discurso semanal.

"Sabemos que o Estado Islâmico e outros grupos terroristas estão a incentivar ativamente as pessoas - em todo o mundo e no nosso país - para cometer atos terríveis de violência, muitas vezes como atores individuais, como lobos solitários", referiu o Presidente norte-americano.

"Todos nós - governo, forças de segurança, comunidades, líderes religiosos -- precisamos trabalhar em conjunto para impedir que as pessoas se tornem vítimas de ideologias de ódio", acrescentou.

Obama renovou os seus apelos a uma reconsideração sobre as leis de armas, que permitem a qualquer adulto comprar armamento e munições.

"Sabemos que os assassinos em San Bernardino utilizaram armas de assalto de uso militar, armas de guerra, para matar tantas pessoas quanto podiam. É mais um trágico lembrete de que aqui na América é muito fácil para as pessoas perigosas terem uma arma em suas mãos ", sublinhou, acrescentando que como Presidente, deve lutar pela segurança dos seus cidadãos.

Lusa

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43