sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 40 mortos em ataques, bombardeamentos e confrontos no Iraque

Pelo menos 41 pessoas morreram, entre elas 24 elementos do Daesh, em ataques suicidas, bombardeamentos e confrontos na província de Al Anbar, oeste do Iraque, indicou hoje fonte das forças de segurança iraquianas.

(arquivo)

(arquivo)

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Citada pela agência espanhola EFE, a fonte refere que entre as vítimas mortais figuram também oito membros do exército e da polícia locais, bem como 15 civis feridos, quando uma motocicleta conduzida por um terrorista suicida se fez explodir contra um grupo de forças governamentais próximo da Ponte da Palestina, a norte da cidade de Ramadi.

Por outro lado, as tropas iraquianas conseguiram neutralizar e abater a tiro outro terrorista suicida, que também conduzia uma motocicleta armadilhada com explosivos.

Na zona de Albu Hayat, a leste da cidade de Hadiza, 180 quilómetros a oeste de Ramadi, pelo menos 18 elementos do Daesh morreram em bombardeamentos realizados pela coligação internacional liderada pelos Estados Unidos.

Na localidade de Al Lahib, a oeste da cidade de Faluja, ainda na província de Al Anbar, morrerem em confrontos três militares iraquianos, quatro milicianos do grupo pró governamental "Multidão Popular" e seis jihadistas.

Outras duas pessoas morreram e três ficaram feridas em bombardeamentos de artilharia do exército iraquiano no bairro Al Andaluz, no centro de Faluja.

As tropas iraquianas estão a lutar contra grupos ligados ao Daesh em Al Anbar desde que, em maio último, os jihadistas irromperam em Ramadi e tomaram o controlo de vastas regiões da província, a maior do Iraque.

Em junho de 2014, o EI declarou unilateralmente um califado nos territórios sob seu controlo na Síria e no Iraque, tendo conquistado várias áreas e cidades.

Com Lusa

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Centeno aponta para a reforma e expansão do euro
    0:32

    Economia

    O ministro das Finanças português participa hoje na primeira reunião enquanto presidente do Eurogrupo. À entrada para o encontro dos ministros das Finanças da moeda única, Mário Centeno apontou a reforma do Euro como um dos principais desafios do mandato que agora inicia. 

  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    O Ministério Público espanhol pediu ao tribunal supremo para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, que se deslocou à Dinamarca para participar numa conferência. O Supremo rejeitou no entanto o pedido. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".