sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 40 mortos em ataques, bombardeamentos e confrontos no Iraque

Pelo menos 41 pessoas morreram, entre elas 24 elementos do Daesh, em ataques suicidas, bombardeamentos e confrontos na província de Al Anbar, oeste do Iraque, indicou hoje fonte das forças de segurança iraquianas.

(arquivo)

(arquivo)

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Citada pela agência espanhola EFE, a fonte refere que entre as vítimas mortais figuram também oito membros do exército e da polícia locais, bem como 15 civis feridos, quando uma motocicleta conduzida por um terrorista suicida se fez explodir contra um grupo de forças governamentais próximo da Ponte da Palestina, a norte da cidade de Ramadi.

Por outro lado, as tropas iraquianas conseguiram neutralizar e abater a tiro outro terrorista suicida, que também conduzia uma motocicleta armadilhada com explosivos.

Na zona de Albu Hayat, a leste da cidade de Hadiza, 180 quilómetros a oeste de Ramadi, pelo menos 18 elementos do Daesh morreram em bombardeamentos realizados pela coligação internacional liderada pelos Estados Unidos.

Na localidade de Al Lahib, a oeste da cidade de Faluja, ainda na província de Al Anbar, morrerem em confrontos três militares iraquianos, quatro milicianos do grupo pró governamental "Multidão Popular" e seis jihadistas.

Outras duas pessoas morreram e três ficaram feridas em bombardeamentos de artilharia do exército iraquiano no bairro Al Andaluz, no centro de Faluja.

As tropas iraquianas estão a lutar contra grupos ligados ao Daesh em Al Anbar desde que, em maio último, os jihadistas irromperam em Ramadi e tomaram o controlo de vastas regiões da província, a maior do Iraque.

Em junho de 2014, o EI declarou unilateralmente um califado nos territórios sob seu controlo na Síria e no Iraque, tendo conquistado várias áreas e cidades.

Com Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15