sicnot

Perfil

Mundo

Ministro belga anuncia reforço da equipa de juízes antiterrorismo em Bruxelas

O ministro da Justiça belga anunciou hoje que reforçará a equipa de juízes antiterroristas em Bruxelas com mais três elementos, depois de constatar que os quatro atuais estão sobrecarregados de trabalho.

© Francois Lenoir / Reuters

"Neste momento, os nossos juízes de instrução antiterroristas estão sobrecarregados de trabalho, devido à procuradoria federal e às autoridades de segurança do Estado, mas também pela justiça tradicional", disse o ministro Koen Geens à cadeia de televisão pública RTBF.

Os juízes estão a investigar nomeadamente as conexões belgas dos envolvidos nos atentados de Paris - que ocorreram a 13 de novembro e provocaram 130 mortes.

Na opinião do ministro, "nestes tempos difíceis, é importante que os juízes de instrução permanentes estejam realmente disponíveis para descartar ou prolongar os mandados de prisão" e dirigir as investigações antiterroristas.

O Governo belga considera "urgente" que em Bruxelas haja mais três juízes de instrução antiterroristas.

Os três juízes de instrução adicionais poderão assumir as suas funções nos próximos dias, segundo Geens.

O presidente do tribunal de primeira instância de Bruxelas, Luc Hennart, criticou a iniciativa, dizendo que "é um verdadeiro problema" esta deslocação e o tratamento do tema antiterrorismo em detrimento de outras questões.

  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01
  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11
  • PSP descentraliza a regularização de armas
    3:55

    País

    A PSP de Bragança percorreu os 12 concelhos do distrito ao encontro dos proprietários de armas com vista à sua regularização. A iniciativa, que pretende evitar a deslocação das pessoas à capital de distrito, teve uma forte adesão.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.