sicnot

Perfil

Mundo

Ministro belga anuncia reforço da equipa de juízes antiterrorismo em Bruxelas

O ministro da Justiça belga anunciou hoje que reforçará a equipa de juízes antiterroristas em Bruxelas com mais três elementos, depois de constatar que os quatro atuais estão sobrecarregados de trabalho.

© Francois Lenoir / Reuters

"Neste momento, os nossos juízes de instrução antiterroristas estão sobrecarregados de trabalho, devido à procuradoria federal e às autoridades de segurança do Estado, mas também pela justiça tradicional", disse o ministro Koen Geens à cadeia de televisão pública RTBF.

Os juízes estão a investigar nomeadamente as conexões belgas dos envolvidos nos atentados de Paris - que ocorreram a 13 de novembro e provocaram 130 mortes.

Na opinião do ministro, "nestes tempos difíceis, é importante que os juízes de instrução permanentes estejam realmente disponíveis para descartar ou prolongar os mandados de prisão" e dirigir as investigações antiterroristas.

O Governo belga considera "urgente" que em Bruxelas haja mais três juízes de instrução antiterroristas.

Os três juízes de instrução adicionais poderão assumir as suas funções nos próximos dias, segundo Geens.

O presidente do tribunal de primeira instância de Bruxelas, Luc Hennart, criticou a iniciativa, dizendo que "é um verdadeiro problema" esta deslocação e o tratamento do tema antiterrorismo em detrimento de outras questões.

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é portuguesa e há uma outra portuguesa desaparecida. Entretanto, uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Cambrils. As buscas centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42