sicnot

Perfil

Mundo

Polícia londrina pede mais informações a testemunhos de ataque no metro

A polícia londrina renovou hoje o pedido de informação aos testemunhos do ataque de sábado no metro da cidade para esclarecer as circunstâncias do esfaqueamento de duas pessoas, que está a ser investigado como sendo um "ato terrorista".

© Neil Hall / Reuters

O comandante da unidade antiterrorista da Polícia Metropolitana de Londres (MET), Richard Walton, pediu aos testemunhos que conseguiram filmar o ataque, e cujos vídeos estão a circular na internet, para que se "ponham em contacto" com as autoridades.

Walton agradeceu aos cidadãos que facultaram as suas gravações do incidente ocorrido no sábado na estação de metro de Leytonstone, onde um homem de 29 anos protagonizou, segundo o comandante, "um ataque violento com uma faca não provocado".

O suspeito, que feriu gravemente um homem de 56 anos e causou ferimentos leves a outro homem, gritou "isto é pela Síria" depois do ataque e continua detido numa esquadra da capital do Reino Unido.

Inicialmente, foi noticiado que havia um terceiro ferido mas essa mulher foi apenas alvo de ameaças, não tendo sofrido danos físicos.

Lusa

  • Francês detido em Antuérpia "queria matar"

    Mundo

    O Presidente de França François Hollande afirmou que o francês detido esta quinta-feira por conduzir um automóvel a grande velocidade na principal rua pedonal de Antuérpia, na Bélgica, "queria matar" ou "provocar um acontecimento dramático".

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.