sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela vai hoje a votos com oposição na frente das sondagens

Quase 20 milhões de eleitores escolhem hoje uma nova Assembleia Nacional. O novo parlamento terá 167 deputados, com um mandato para os próximos 5 anos.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute


Nas ruas a segurança foi reforçada, com a presença de 163 mil militares. A votação estará ainda sob o olhar atento de observadores internacionais. As sondagens apontam para a preferência dos eleitores pelos partidos da oposição.


As urnas abrem na Venezuela quando forem 10:30 em Lisboa e fecham doze horas depois.Ontem, Nicolas Maduro pediu aos venezuelanos que deem um exemplo de paz e democracia nestas eleições.


"Que o nosso povo se levante tranquilo, sorridente, orgulhoso de ser a pátria de Simón Bolívar (...) e demos um exemplo à humanidade de paz e de civismo, de participação, de democracia verdadeira", afirmou o Presidente venezuelano, durante uma reunião com observadores internacionais e convidados especiais do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) e do Grande Polo Patriótico, a aliança de partidos afetos à revolução bolivariana.

Nicolás Maduro realçou que a chamada revolução bolivariana e o seu Governo vão reconhecer o resultado que for proclamado pela autoridade eleitoral: "Digo-o aqui (...). A revolução respeitará os resultados eleitorais que emanem da vontade popular, sejam quais forem, de forma estrita e impecável".

Com a participação de quase duas dezenas de formações políticas, as atenções estão divididas entre o Grande Polo Patriótico e a coligação da oposição Mesa de Unidade Democrática, além de um importante número de candidatos independentes.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.