sicnot

Perfil

Mundo

Iraque avisa a Turquia para retirar forças enviadas sem permissão

O Governo iraquiano avisou hoje a Turquia de que se está a esgotar o prazo para retirar as forças que enviou para o norte do Iraque sem permissão, mas Ancara respondeu que é improvável que as retire.

(arquivo)

(arquivo)

© Thaier Al-Sudani / Reuters

O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, disse que "já só faltam 24 horas" das 48 que Bagdad deu ao Governo turco para retirar tanques e soldados enviados para uma base perto de Mossul.

Abadi visitou a sede da Força Aérea do país e declarou: "Temos de estar preparados e prontos para defender o Iraque e a sua soberania", indicou o seu gabinete.

"A Força Aérea tem a capacidade de proteger o Iraque e as suas fronteiras de qualquer ameaça que enfrente", acrescentou o chefe do executivo iraquiano.

Mas apesar das duras declarações de Abadi, que está a lutar para manter a soberania do Iraque enquanto recebe ajuda estrangeira para combater o grupo extremista Estado Islâmico, a Força Aérea de Bagdad está em clara desvantagem em relação à Turquia em matéria de armamento, e a sua grande arma é apenas a diplomacia.

Um alto responsável turco disse hoje que é improvável que Ancara retire as suas forças, que são entre 150 e 300 soldados apoiados por 20 tanques, que foram enviados para uma base na zona de Bashiqa, perto de Mossul, bastião do grupo 'jihadista'.

"Esperamos que fiquem", disse o responsável turco, embora acrescentando que "isso dependerá de negociações".

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraquiano, Ibrahim al-Jaafari, esclareceu hoje que o pedido de retirada se aplica apenas ao mais recente destacamento de tropas e equipamento militar turco, e não aos formadores turcos que estão a treinar forças no norte do país há algum tempo.

"O pedido iraquiano [de retirada] diz apenas respeito à violação registada com a presença de forças armadas turcas sem coordenação com o Iraque", disse Jaafari numa conferência de imprensa conjunta com o homólogo alemão, Frank-Walter Steinmeier.

"Os conselheiros são outro assunto; há conselheiros de vários países, e nós aceitámos a presença de conselheiros, mas não a entrada de forças terrestres em território iraquiano", frisou Jaafari.

O primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, tentou minimizar o recente envio de tropas, classificando-o como "atividade de rotação rotineira" associada à missão de treino e como "um reforço contra riscos de segurança".

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.