sicnot

Perfil

Mundo

ONU pede montante recorde de cerca de 19 mil M€ para resposta a crises

As Nações Unidas pediram hoje o montante recorde de 20.100 milhões de dólares, cerca de 19 mil milhões de euros (M€), o maior alguma vez pedido pela organização - para responder às necessidades de 88 milhões de pessoas afetadas por várias crises.

Reuters/Arquivo)

Reuters/Arquivo)

© Yannis Behrakis / Reuters

Estes 88 milhões são os mais vulneráveis e marginalizados dos 125 milhões de seres humanos que precisam de assistência humanitária para sobreviver.

O montantes de 20.100 milhões de dólares representa cinco vezes o que a ONU pedia há uma década, e demonstra não só a multiplicação de conflitos, desastres e crises no mundo, mas o número sem precedentes de pessoas afetadas.

Atualmente, 60 milhões de pessoas foram forçadas a abandonar as suas casas e sobrevivem como refugiados ou deslocados internos, o maior número desde a Segunda Guerra Mundial.

Os fundos pedidos vão ser distribuídos por 37 países afetados por 27 crises: Afeganistão, Birmânia (Myanmar) Burkina Faso, Camarões, Chade, Jibuti, Etiópia, Gâmbia, Guatemala, Haiti, Honduras, Iémen, Iraque, Líbia, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, Palestina, República Centro-Africana, República Democrática do Congo (RDCongo), Senegal, Somália, Sudão do Sul, Síria e Ucrânia.

As crises no Burundi, Iémen, Nigéria, República Centro-Africana, Sudão do Sul e Síria são regionais e afetam os países vizinhos, por isso o número total de nações incluídas no plano é superior a 37.

De todas, a crise que requer mais fundos é, uma vez mais, a Síria: 3.200 milhões de dólares para a assistência no interior do país, e 4.800 milhões para ajuda humanitária nas nações vizinhas (Egito, Iraque, Jordânia, Líbano e Turquia), onde residem mais de quatro milhões de refugiados sírios.

Em 2015, a ONU pediu 2.900 milhões de dólares para a Síria, tendo conseguido apenas 1.200. Para a resposta regional, foram pedidos 4.500 milhões e obtidos 2.400.

A segunda crise é a do Sudão do Sul, com 1.300 milhões pedidos para responder às necesidades do país e 600 milhões para ajudar os refugiados sul-sudaneses em outros países.

Para o Iémen, a ONU pediu 1.600 milhões para a resposta no país, onde 80% da população precisa de assistência para sobreviver, e 94 milhões para a assistência regional.

Seguem-se a Etiópia, com mil milhões, e o Iraque com 861 milhões de dólares.

Este pedido de fundos inclui a Guatemala e as Honduras, cujas necessidades duplicaram relativemente ao corrente ano, devido aos efeitos negativos do fenómeno meteorológico 'El Niño', junto de populações que vivem em situações muito vulneráveis.

A ONU pediu 45,9 milhões de dólares para as Honduras (contra 13,2 em 2015) e 55,7 milhões para a Guatemala (23,8 em 2015).

Para responder a todas as crises no corrente ano, a ONU pediu 19.900 milhões de dólares, mas até à data, só conseguiu 9.700, o que representa apenas 49% do pedido.

Se não se verificarem alterações, as agências humanitárias vão terminar o ano com um défice de financiamento de 10.200 milhões de dólares, o maior até à data.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.