sicnot

Perfil

Mundo

Pequim em alerta vermelho devido à poluição

galeria de fotos

A capital chinesa emitiu hoje pela primeira vez o alerta máximo devido a poluição atmosférica. É uma medida inédita que deverá durar entre a manhã de terça-feira até quinta-feira, anunciou hoje o Serviço de Proteção Ambiental do município.

© Jason Lee / Reuters

© Damir Sagolj / Reuters

© Kim Kyung Hoon / Reuters

© Damir Sagolj / Reuters

© Damir Sagolj / Reuters

© Jason Lee / Reuters

© Damir Sagolj / Reuters

© Damir Sagolj / Reuters

© China Stringer Network / Reut

© China Stringer Network / Reut

© Jason Lee / Reuters

© Jason Lee / Reuters

© China Daily China Daily Infor

© Kim Kyung Hoon / Reuters

© Kim Kyung Hoon / Reuters

© China Daily China Daily Infor

© Damir Sagolj / Reuters

© Damir Sagolj / Reuters

São cerca de 21 milhões de habitantes de Pequim afetados pelo "arpocalipse", níveis de poluição atmosférica muito prejudiciais para a saúde - 600 microgramas por metro cúbico. A Organização Mundial de Saúde recomenda uma exposição máxima de 25 microgramas em 24 horas.

A diminuição do tráfego é uma das primeiras medidas: circulação alternada de veículos de acordo com a matrícula (par e ímpar) , com exceção dos elétricos. Em compesação serão colocados a circular 200 autocarros suplementares.

As obras no exteriores são suspensas, os camiões estão impedidos de entrar na cidade, as fábricas mais poluidoras cessam de operar. Está proibido o lançamento de fogo de artifício e a realização de churrascos.

As escolas deverão fechar, mas a decisão cabe a cada direção.

A medida surge na altura em que decorre em Paris a Cimeira sobre o Clima (COP21), onde o Presidente chinês, Xi Jinping, foi instado a criar políticas "verdes" para combater a emissão de gases poluentes.

Um dos países mais poluidores no mundo, a China anunciou quarta-feira a intenção de reduzir em 60% as emissões dos "principais poluentes" das suas fábricas de carvão até 2020, modernizando as estruturas.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as várias as fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto por mostrar, de forma crua, as consequências das chamas. A foto é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.