sicnot

Perfil

Mundo

Presidente cubano envia mensagem a Nicolás Maduro após eleições na Venezuela

O Presidente de Cuba, Raúl Castro, enviou uma mensagem de apreço ao seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro, depois da derrota histórica que este sofreu nas eleições de domingo, que passou o controlo do Parlamento para a oposição.

Reuters

Reuters

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

O líder cubano expressou "admiração" pela "extraordinária batalha" travada por Maduro, o sucessor do Presidente Hugo Chávez, que agora será obrigado a trabalhar com um parlamento dominado pela oposição.

"Querido Maduro, tenho acompanhado minuto a minuto a batalha extraordinária que tem sido travada", escreveu Castro no jornal estatal Granma.

"Estou certo que novas vitórias virão para a Revolução Bolivariana", referiu o Presidente cubano no texto, referindo-se às políticas implementadas desde a governação de Chávez.

Uma coligação de centro-direita, a Mesa de Unidade Democrática (MUD), conquistou 99 dos 167 lugares do parlamento nas eleições de domingo, pela primeira vez em 16 anos.

Os eleitores acabaram por punir o Governo de Maduro devido à recessão económica que atravessa o país, que também vive uma grave crise na segurança.

Maduro aceitou a derrota, um duro golpe para a sua liderança e para a "Revolução" do "socialismo do século XXI", lançada pelo já falecido Presidente Chávez.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.