sicnot

Perfil

Mundo

Alterações climáticas são teoria esquerdista, diz candidato republicano à Casa Branca

O candidato republicano à Casa Branca Ted Cruz considerou hoje que as alterações climáticas são uma teoria esquerdista sem qualquer fundamento científico, para impor um controlo importante dos governos sobre a economia e o setor energético.

© Brian Frank / Reuters

"No debate sobre aquecimento climático, tão frequente, os políticos em Washington e um grande número de cientistas que recebem importantes subsídios públicos, ignoram a ciência e os dados e avançam, em vez disso, com uma ideologia política", declarou Cruz, aos microfones da rádio pública norte-americana NPR.

Na opinião de Cruz, há algumas décadas "os esquerdistas/progressistas e alguns cientistas afirmavam existir um problema de arrefecimento climático".

"O que eles diziam foi refutado pelos dados (...) os mesmos esquerdistas e um certo número dos mesmos cientistas mudaram a teoria para aquecimento climático", afirmou o político republicano.

E "mudaram a sua teoria uma terceira vez porque há um problema: os dados científicos não mostram um aquecimento mundial", acrescentou o senador ultra-conservador do Texas (sul).

"Agora são as 'alterações climáticas' e esta teoria pseudo-científica é perfeita para um grande governo que quer mais poder. Porquê? Porque esta teoria nunca pode ser refutada", considerou.

"Quer aqueça ou arrefeça, quer seque ou humedeça, o clima vai sempre mudar", sublinhou.

Ted Cruz acrescentou ser "muito interessante verificar que a solução proposta para as alterações climáticas - um controlo maciço pelo governo da economia em todos os aspetos da vida - é exatamente a mesma solução proposta para o aquecimento climático (...) e para o arrefecimento climático".

Representantes de 195 países estão reunidos em Paris na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21), para tentarem concluir um acordo universal sobre redução de emissões de gases com efeito de estufa. A "cimeira do clima" começou a 30 de novembro e decorre até sexta-feira.

Se nada for feito para combater o desregulamento climático, o mercúrio dos termómetros subirá mais 4,8º centígrados, de acordo com o painel intergovernamental de peritos sobre a evolução do clima (IPCC, sigla em inglês), laureado com o prémio Nobel da Paz em 2007, juntamente com o antigo vice-presidente norte-americano Al Gore.

A COP21 pretende alcançar um acordo de redução de emissões que permita reduzir subida da temperatura a dois graus em relação à era pré-industrial.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.