sicnot

Perfil

Mundo

Maduro pede demissão dos seus ministros após derrota nas legislativas

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu aos seus ministros para se demitirem, com o objetivo de fazer uma "reestruturação" do Governo após a vitória da oposição nas eleições parlamentares de domingo.

© Handout . / Reuters

"Eu pedi ao Conselho de Ministros para apresentar a demissão, para efetuar um processo de restruturação, de renovação e de profundo relançamento de todo o Governo nacional", disse Maduro durante o seu programa semanal de rádio e televisão.

"Isto é o que eu quero: um programa para a nova etapa da revolução, com uma revisão profunda - um começo, caramba!", disse o chefe de Estado venezuelano.

Unida na coligação da Mesa da Unidade Democrática (MUD), a oposição obteve, nas eleições de domingo, 112 dos 167 lugares que compõem o parlamento venezuelano, uma maioria de dois terços que lhe confere amplos poderes.

O Presidente Maduro, cujo mandato termina em 2019, convocou para quinta-feira o seu partido, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), para um dia de consultas.

A vitória da oposição nas eleições parlamentares, a primeira em 16 anos, marca uma viragem histórica contra o 'chavismo' (nome derivado do falecido Hugo Chavez, presidente entre 1999 e 2013), até à agora habituado a deter a totalidade dos poderes na Venezuela.

O resultado eleitoral surge num contexto de descontentamento popular face à crise económica no país, devido à queda do preço do petróleo.

O secretário executivo da MUD, Jesus Torrealba, indicou que os 112 deputados vão reunir na quinta-feira para abordar o seu papel na futura Assembleia, que será instalada a 05 de janeiro.

A maioria de dois terços da oposição permite, por exemplo, convocar um referendo ou estabelecer uma assembleia constituinte.

Além disso, a oposição "poderá reformular a composição do Tribunal supremo, que nos últimos tempos tomou decisões favoráveis ao Governo", explicou Carlos Malamud, perito sobre a América latina no Instituto Real Elcano de Madrid, segundo a agência AFP.

Lusa

  • Militares da GNR saem hoje à rua em protesto

    País

    A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG) realizam esta quarta-feira uma ação de protesto em Lisboa devido "à falta de resposta" do Governo às principais reivindicações.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Marcelo termina hoje visita de Estado ao Luxemburgo

    País

    O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, termina esta quarta-feira a visita de Estado de dois dias ao Luxemburgo com uma agenda dedicada a projetos em que estão envolvidos portugueses, além de um almoço com o primeiro-ministro luxemburguês.

  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.