sicnot

Perfil

Mundo

Donald Trump adia viagem a Israel depois de críticas a plano antimuçulmano

Donald Trump, que pretende ser o candidato republicano à presidência norte-americana, anunciou hoje ter adiado uma visita a Israel, depois das críticas do primeiro-ministro israelita ao plano de proibir a entrada de muçulmanos nos EUA.

Reuters

Reuters

© Randall Hill / Reuters

"Decidi adiar a minha viagem a Israel e realizar o meu encontro com Benjamim Netanyahu em data posterior, quando já for presidente dos Estados Unidos", disse o magnata do imobiliário na sua conta na rede social Twitter.

Na segunda-feira, Trump, que continua à frente nas sondagens entre os republicanos, propôs impedir temporariamente a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, medida que apresentou como resposta à ameaça do terrorismo 'jihadista'.

A proposta tem sido duramente criticada, dentro e fora do Partido Republicano, e na quarta-feira o gabinete do primeiro-ministro israelita garantiu que Netanyahu recusava a ideia de Trump.

"O Estado de Israel respeita todas as religiões e garante rigorosamente os direitos de todos os cidadãos. Ao mesmo tempo, Israel luta contra o fundamentalismo islâmico que ataca muçulmanos, cristãos e judeus e ameaça todo o mundo", de acordo com a declaração oficial do gabinete de Netanyahu.

Os dois políticos tinham previsto um encontro em Jerusalém, a 28 de dezembro.

Numa entrevista à cadeia de televisão norte-americana Fox, Trump explicou ter decidido adiar a visita apesar da vontade de Netanyahu de realizar o encontro. "Não queria pressioná-lo", disse.

Donald Trump propôs impedir a entrada de todos os muçulmanos nos Estados Unidos, na sequência do recente atentado em San Bernardino (Califórnia), que causou 14 mortos e duas dezenas de feridos, perpetrado alegadamente por um norte-americano filho de paquistaneses e a mulher, de origem paquistanesa, mortos pela polícia.

O anúncio do adiamento da visita a Israel coincidiu com a publicação de uma nova sondagem nacional, na qual Trump obteve 35% das intenções de voto entre os eleitores republicanos.

Na segunda posição surge o senador Ted Cruz, de origem cubana, com 16%, seguido pelo neurocirurgião aposentado Ben Carson (13%) e o senador Marco Rubio (9%), também de origem cubana.

A sondagem, divulgada pela cadeia CBS News e o diário The New York Times, foi realizada entre 04 e 08 de dezembro junto de 431 eleitores republicanos.

As eleições primárias para as presidenciais e 'caucus' deverão realizar-se entre fevereiro e janeiro do próximo ano. Os eleitores escolhem os delegados à convenção de nomeação partidária que, por sua vez, decide o candidato às presidenciais.

A eleição do 45.º presidente dos Estados Unidos está marcada para 08 de novembro de 2016.

Lusa

  • Fuga de ácido em camião corta EN1 em Gaia

    País

    Uma fuga de gás clorídrico do contentor de um camião que circulava na zona de Pedroso em Vila Nova de Gaia obrigou ao corte do trânsito na EN 1, no sentido Norte/Sul.

    Em desenvolvimento

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.