sicnot

Perfil

Mundo

Hackers atacam página do primeiro-ministro do Japão por caça de baleias

O movimento de hackers Anonymous bloqueou hoje o acesso à página na Internet do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, num ataque em protesto contra o programa de caça às baleias do país.

© Reuters Staff / Reuters

O portal do primeiro-ministro nipónico permanece parcialmente bloqueado devido a um ataque de recusa de serviços ('DDos' ou 'Distributed Denial of Service'), cuja autoria foi reivindicada pelo grupo internacional de piratas informáticos na rede social Twitter, onde afirmaram que a caça de cetáceos "não é um direito cultural".

O ministro-porta-voz do Executivo japonês, Yoshihide Suga, reconheceu hoje, em conferência de imprensa, que o ataque deixou "limitado" o acesso ao portal de Abe e assinalou que a polícia investiga se foi cometido por membros do grupo Anonymous.

A ação dos piratas informáticos surge como represália à decisão do Governo nipónico de retomar o programa de caça de baleias, segundo o qual vai pescar, esta temporada, 333 exemplares no Oceano Antártico para fins que alega serem científicos.

Mais de 30 países, incluindo todos os que integram a União Europeia, Estados Unidos, México e Austrália, apresentaram esta semana uma proposta conjunta ao Governo nipónico contra a caça de baleias, que também é contestada por organizações ambientalistas.

A rede Anonymous posicionou-se contra esta prática, tal como fez relativamente à caça de golfinhos de Taiji, no oeste do Japão, em novembro, altura em que os seus piratas informáticos provocaram o colapso de dezenas de portais japoneses.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.