sicnot

Perfil

Mundo

Deputados jordanos assinam petição para proibir entrada de Donald Trump no país

Vinte e cinco deputados jordanos assinaram este domingo uma petição para proibir a entrada na Jordânia do milionário norte-americano Donald Trump, em resposta à sua proposta de impedir temporariamente a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

© Mary Schwalm / Reuters

Os membros da câmara baixa do parlamento jordano qualificaram a proposta de Trump, candidato à investidura do Partido Republicano para as presidenciais norte-americanas de novembro de 2016, de racista.

"Condenamos as declarações racistas de Trump contra os muçulmanos e pedimos ao governo que proiba este racista de entrar em território jordano no futuro", de acordo com a nota dos deputados.

Trump apresentou no dia 7 deste mês uma proposta polémica para proibir temporariamente a entrada nos EUA de todos os muçulmanos, devido a uma alegada ameaça do terrorismo 'jihadista'.

Para os deputados jordanos, "as declarações de Trump alimentam o extremismo e o terrorismo e prejudicam as relações de amizade entre a Jordânia e os Estados Unidos, bem como os laços entre Washington e o mundo árabe e islâmico".

No passado dia 09, Donald Trump negou qualquer intenção de visitar a Jordânia este mês, como tinha sido divulgado por vários 'media' norte-americanos.

De acordo com o milionário, que lidera as sondagens para a investidura pelos republicanos, a sua proposta, que deu origem a uma enorme controvérsia, "não tem nada a ver com religião", mas com segurança.

Lusa

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.