sicnot

Perfil

Mundo

Papa critica os "poderosos" e proclama "o tempo do grande perdão"

O Papa Francisco abriu hoje a Porta Santa da catedral de Roma, São João de Latrão, e durante a sua homilia criticou a arrogância dos governantes e proclamou que com o Jubileu "começa o tempo do grande perdão".

Gregorio Borgia / AP

"Este terceiro domingo do advento faz com que assistamos à chegada do Natal, já próximo. Não podemos deixar-nos cair no cansaço; não nos é permitida nenhuma forma de tristeza. Embora tenhamos motivo para tantas preocupações e para as múltiplas formas de violência que ferem a nossa humanidade", disse na sua homilia.

Francisco assinalou que "num contexto histórico de grandes abusos e violências, por causa sobretudo dos homens do poder, Deus faz saber que Ele mesmo governará o seu povo, que não o deixará nas mãos da arrogância dos seus governantes, que o libertará de cada angústia".

"Hoje é-nos exigido que 'não baixemos os braços' por causa da dúvida, da impaciência ou do sofrimento".

O papa evocou então a alegria porque começou o Jubileu, um tempo que qualificou como "o tempo do grande perdão".

"Abrimos a Porta Santa, aqui e em todas as catedrais do mundo. É também um gesto simples e um convite à alegria. Começa o tempo do grande perdão. É o Jubileu da misericórdia", celebrou.

A abertura da Porta Santa ocorreu às 09:30 locais (08:30 TMG) e depois foi celebrada a missa, uma cerimónia seguida por milhares de fieis que se juntaram dentro e fora do tempo para assistir a este ritual que não se realizava desde o Jubileu do ano 2000, durante o pontificado do já santo João Paulo II.

As imediações da basílica de São João de Latrão foram marcadas por um aumento considerável de vigilância e controlos policiais, devido ao alerta terrorista na Europa que obrigou as autoridades a ter especial atenção aos atos do Jubileu, em que são frequentes as aglomerações.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.