sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Gâmbia proclama que o país "é um Estado islâmico"

O Presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, afirmou sábado em Banjul, capital do país, que aquela ex-colónia britânica com cerca de dois milhões de habitantes é agora "um Estado islâmico".

Reuters

Em declarações na televisão pública, Yahya Jammeh prometeu, no entanto, que os direitos da minoria cristã residente no país seriam respeitados, e que as mulheres não sofrerão restrições no vestuário.

"O destino da Gâmbia está nas mãos de Alá, todo-o-poderoso. A partir de hoje a Gâmbia é um Estado Islâmico", reiterou, acrescentando que irá respeitar os direitos dos cidadãos.

No país, 90% da população é muçulmana, 8% cristã e a restante é considerada praticante de religiões tradicionais.

"Não nomeei ninguém polícia do islamismo, portanto os cristãos terão os seus rituais respeitados e as mulheres não podem ser alvo de violência devido ao vestuário que usem", disse Yahya Jammeh.

O Presidente da Gâmbia tem 50 anos, fez carreira militar e nasceu numa família de camponeses, cultivando uma imagem de crente muçulmano dotado de poderes místicos.

A Gâmbia tornou-se independente da Grã-Bretanha em 1965 e tornou-se uma república em 1970 sob a presidência de Dawda Jawara, derrubado em 1994 por um golpe de Estado militar liderado por Yahya Jammeh.

Ordenou a saída do Commonwealth, justificando que se tratava de uma organização colonialista e decidiu abandonar o inglês como língua oficial do país, embora essa medida nunca se tenha efetuado até hoje.

Em 2002 fez adotar uma emenda constitucional no país retirando a limitação de mandatos do presidente, e o seu regime é frequentemente criticado pelos defensores dos direitos humanos.

Lusa

  • Partidos vão apresentar propostas alternativas à descida da TSU
    2:52

    TSU

    O Presidente da República defende a redução da Taxa Social Única mas deixa a porta aberta a outra via para compensar o aumento do salário mínimo. PCP e Bloco de Esquerda insistem que não pode haver contrapartidas que estimulem os salários baixos mas admitem outras formas de aliviar as empresas. À direita, também o CDS irá apresentar propostas.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.