sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy chama "desprezível" a Sánchez após este questionar a sua honestidade

O único debate televisivo entre o presidente do governo espanhol e o candidato socialista às eleições gerais ficou marcado por acusações do passado, com Sánchez a questionar a honestidade de Rajoy, que o apelidou de "desprezível".

© Juan Medina / Reuters

O secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, acusou Mariano Rajoy de não ser honesto, por não se ter demitido aquando dos casos de corrupção que afectam o PP, ao que o presidente do Governo espanhol e dos "populares" respondeu "Agora já chega".

E, ato contínuo, acusou Pedro Sánchez de ser "ruim, miserável, mesquinho e desprezível", acrescentando que "não lhe admitia pôr em causa a sua honra".

Sánchez recordou o episódio de um SMS enviado por Rajoy ao ex-tesoureiro do PP Luís Bárcenas - acusado na justiça por casos de corrupção e favorecimento ilícito. Na altura, Rajoy enviou uma mensagem a dizer "Luís, sê forte".

"O senhor nomeou Bárcenas gerente, promoveu-o a tesoureiro e depois a senador. Quando perdeu as eleições em 2004, o senhor foi de férias pagas pela empresa de Correa [o líder de outro caso de corrupção, o caso Gurtel] e o senhor permitiu que a senhora Cospedal mentisse na cara de todos os espanhóis, ao dizer que ia despedir Luis Bárcenas", acusou Sánchez.

Sánchez também responsabilizou Rajoy de ter destruído à martelada o computador do ex-tesoureiro antes de este ser apreendido pela justiça e criticou o presidente do Governo por, após as primeiras informações do caso, ter dito que tudo era falso.

"O senhor deveria ter-se demitido nessa altura, há dois anos (...). O presidente do Governo tem de ser uma pessoa decente, senhor Rajoy, e o senhor não o é", acusou Sánchez.

Foi então que Rajoy, habitualmente impassível, declarou: "Agora já chega".

Após ter respondido que, se acreditava mesmo nisso, então Sánchez deveria ter apresentado uma moção de censura (algo que não aconteceu), Rajoy sublinhou que é "um político honrado".

"No mínimo, tão honrado como você. Fui vereador, presidente de região, vice-presidente da Xunta [presidente do Governo regional da Galiza], cinco vezes ministro, vice-presidente e presidente do Governo e ninguém, jamais, me acusou de nada em tribunal, nem nunca fui acusado de apropriar-me de nada", explicou Rajoy.

Salientou que não se dedica à política por dinheiro e afirmou que Sánchez nunca mais se vai recuperar das acusações que fez no debate de hoje.

"Como vai perder as eleições, não se esqueça que pode recuperar-se da derrota, mas se calhar nunca vai recuperar de afirmações ruins, mesquinhas, miseráveis e desprezíveis" sobre a sua honestidade e decência, contrapôs Rajoy.

O debate ficou também marcado por acusações de Rajoy à herança deixada pelo PSOE até 2011 (desemprego e défice elevado) e pela resposta de Sánchez, que insistiu que a política de austeridade do PP cortou em tudo menos na corrupção.

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.