sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy chama "desprezível" a Sánchez após este questionar a sua honestidade

O único debate televisivo entre o presidente do governo espanhol e o candidato socialista às eleições gerais ficou marcado por acusações do passado, com Sánchez a questionar a honestidade de Rajoy, que o apelidou de "desprezível".

© Juan Medina / Reuters

O secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, acusou Mariano Rajoy de não ser honesto, por não se ter demitido aquando dos casos de corrupção que afectam o PP, ao que o presidente do Governo espanhol e dos "populares" respondeu "Agora já chega".

E, ato contínuo, acusou Pedro Sánchez de ser "ruim, miserável, mesquinho e desprezível", acrescentando que "não lhe admitia pôr em causa a sua honra".

Sánchez recordou o episódio de um SMS enviado por Rajoy ao ex-tesoureiro do PP Luís Bárcenas - acusado na justiça por casos de corrupção e favorecimento ilícito. Na altura, Rajoy enviou uma mensagem a dizer "Luís, sê forte".

"O senhor nomeou Bárcenas gerente, promoveu-o a tesoureiro e depois a senador. Quando perdeu as eleições em 2004, o senhor foi de férias pagas pela empresa de Correa [o líder de outro caso de corrupção, o caso Gurtel] e o senhor permitiu que a senhora Cospedal mentisse na cara de todos os espanhóis, ao dizer que ia despedir Luis Bárcenas", acusou Sánchez.

Sánchez também responsabilizou Rajoy de ter destruído à martelada o computador do ex-tesoureiro antes de este ser apreendido pela justiça e criticou o presidente do Governo por, após as primeiras informações do caso, ter dito que tudo era falso.

"O senhor deveria ter-se demitido nessa altura, há dois anos (...). O presidente do Governo tem de ser uma pessoa decente, senhor Rajoy, e o senhor não o é", acusou Sánchez.

Foi então que Rajoy, habitualmente impassível, declarou: "Agora já chega".

Após ter respondido que, se acreditava mesmo nisso, então Sánchez deveria ter apresentado uma moção de censura (algo que não aconteceu), Rajoy sublinhou que é "um político honrado".

"No mínimo, tão honrado como você. Fui vereador, presidente de região, vice-presidente da Xunta [presidente do Governo regional da Galiza], cinco vezes ministro, vice-presidente e presidente do Governo e ninguém, jamais, me acusou de nada em tribunal, nem nunca fui acusado de apropriar-me de nada", explicou Rajoy.

Salientou que não se dedica à política por dinheiro e afirmou que Sánchez nunca mais se vai recuperar das acusações que fez no debate de hoje.

"Como vai perder as eleições, não se esqueça que pode recuperar-se da derrota, mas se calhar nunca vai recuperar de afirmações ruins, mesquinhas, miseráveis e desprezíveis" sobre a sua honestidade e decência, contrapôs Rajoy.

O debate ficou também marcado por acusações de Rajoy à herança deixada pelo PSOE até 2011 (desemprego e défice elevado) e pela resposta de Sánchez, que insistiu que a política de austeridade do PP cortou em tudo menos na corrupção.

Lusa

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC