sicnot

Perfil

Mundo

Seis estudantes condenados a três anos de prisão por homossexualidade na Tunísia

Seis estudantes de Kairouan, na Tunísia, foram condenados a três anos de prisão efetiva por "práticas homossexuais", tendo ficado ainda proibidos de residirem naquela cidade no centro do país durante cinco anos, revelou hoje o seu advogado.

© Lucy Nicholson / Reuters

"Denunciados por vizinhos" e detidos no final de novembro, princípio de dezembro, os seis jovens reconheceram ter tido "práticas homossexuais" e foram condenados na quinta-feira a três anos de prisão, a pena máxima prevista pelo artigo 230 do código penal, disse Boutheina Karkni à agência France Presse.

A medida de proibição de residirem na cidade, igualmente prevista no código penal, será aplicada quando saírem da prisão, adiantou o advogado.

Criticando as "condenações extremamente severas", Karkni anunciou ter apelado, devendo o recurso ser apreciado num tribunal de Sousse "daqui a 2-3 semanas".

A associação Shams, que defende a despenalização da homossexualidade na Tunísia, criticou num comunicado o julgamento de Kairouan.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.